Startup cria café sólido e vende mais de 1 milhão de unidades em um ano 

O café vem de Minas Gerais até uma fábrica em Vila Velha, no Espírito Santo, onde é torrado, moído e processado com gordura vegetal.

A startup Cafene Innova investiu R$ 1,5 milhão em pesquisas para chegar à fórmula do “café sólido”, lançado em abril do ano passado. As pesquisas levaram três anos para serem concluídas. 

O café vem de Minas Gerais até uma fábrica em Vila Velha, no Espírito Santo, onde é torrado, moído e processado com gordura vegetal. O gosto do BitCoffe, como ele é vendido no mercado, é o mesmo de um cafezinho, só que em vez de beber, a pessoa come. Em um ano, vendeu mais de 1 milhão de unidades.

“É uma massa que a gente consegue processar diretamente do grão de café arábica, preservando além de todo o aroma e sabor, toda a oferta nutricional do grão de café”, diz o empresário Alexandre Pregnaca, criador do projeto do café sólido.

Acesse Nosso Canal Telegram.

São três sabores: expresso, capuccino e café com leite, com ou sem açúcar. O preço para o cliente sai a R$ 7,50 a caixinha com dez unidades e também tem o creme de café.

A embalagem é de papelão reciclado e parte do faturamento vai para compensação ambiental. As vendas são pelo e-commerce e em mais de 200 pontos na região Sul e Sudeste.

“O segundo semestre a gente amplia isso para as demais regiões do Brasil e também já estamos em andamento com as negociações de exportação tanto para Europa, Estados Unidos e Ásia”, estima.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado