Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Varejo associativista cresce o dobro que o mercado 

Em relação ao varejo farmacêutico, as lojas das redes associadas à Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar) apresentaram um crescimento de 23,34% no acumulado nos últimos 12 meses finalizado em maio
Em relação ao varejo farmacêutico, as lojas das redes associadas à Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar) apresentaram um crescimento de 23,34% no acumulado nos últimos 12 meses finalizado em maio.

Dados recentes de dois setores distintos do varejo (o farmacêutico e o de materiais de construção) demonstram o impacto positivo que o associativismo tem para os empresários independentes que buscam esse modelo de gestão.

Em relação ao varejo farmacêutico, as lojas das redes associadas à Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar) apresentaram um crescimento de 23,34% no acumulado nos últimos 12 meses finalizado em maio, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Enquanto isso, o mercado farmacêutico no Brasil em seu todo cresceu 13,68%, segundo dados a IQVIA, que audita esse setor.

Já no setor de materiais de construção, as lojas das redes associadas à Federação Brasileira de Redes Associativistas de Materiais de Construção (Febramat) cresceram 22,8% em 2020 em comparação ao ano de 2019, no mesmo período o crescimento de faturamento do setor foi de 11%, segundo a FGV /IBRE.

conteúdo patrocinado

O associativismo é uma metodologia aplicável em empresas de qualquer segmento econômico, desde que utilizem a mesma matéria-prima, comercializem os mesmos produtos ou prestem o mesmo tipo de serviço. É a colaboração entre empresas com interesses em comum, a fim de obter vantagens econômicas e de gerenciamento, por meio de auxílio mútuo.

Para tal, é necessário um grupo mínimo de empresas que, após estudos de viabilidade econômica, possa suportar os custos de implantação e de manutenção de uma central de negócios, marketing e serviços, apresentando-se, assim, como uma solução inovadora para resolver os problemas das pequenas e médias empresa.

Juntos, os associados trabalham para reduzir os custos operacionais, obter melhores condições de prazo e preço, estratégias de vendas e estimular o desenvolvimento técnico e profissional dos colaboradores e empresários.

“De maneira geral, empresas sozinhas não conseguem enfrentar a concorrência das grandes corporações. Por isso, o associativismo surge para fortalecer os pequenos e médios negócios, tornando-os competitivos, a fim de elevar o padrão de qualidade de seus produtos e serviços, minimizando custos e possibilitando seu acesso a novos mercados consumidores”, explica o presidente da Febrafar, Edison Tamascia.

 

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado