Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Gasto com o pagamento de juros representa 12% da renda das famílias brasileiras

(Foto: Reprodução internet)

As linhas de crédito impõem um custo elevado tanto para os consumidores como para as empresas, retirando da sociedade quase 8% do PIB semestral, a título de pagamento de juros. Esse custo pesa tanto no orçamento dos brasileiros, que somente no primeiro semestre de 2021, as famílias do país pagaram mais de R$ 230 bilhões de juros.

Esse valor representa 73% de toda a injeção que foi feita na economia com o auxílio emergencial de 2020, e representa ainda quase 12% da renda dos brasileiros. Os dados são de um estudo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio SP), que também demonstra que o gasto total de R$ 233,5 bilhões representou cerca de 6% do Produto Interno Bruto (PIB) semestral e 11,79% da renda das famílias, no período.

No ranking de despesas dos brasileiros, os gastos com juros ocupam o segundo lugar, ficando atrás, apenas dos custos com o aluguel. No entanto, o pagamento de juros supera os custos totais das famílias brasileiras, como educação, serviços de saúde e vestuário.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

A pesquisa da Fecomércio SP evidenciou que o auxílio distribuído pelo governo federal, que poderia incentivar ainda mais o consumo das famílias, beneficiando de maneira homogênea outros setores da economia, foi bastante comprometido com a quitação de dívidas e pagamento de juros.

O estudo buscou identificar o volume de recursos que são destinados para o pagamento dos empréstimos obtidos em operações de crédito livre. Para a obtenção dos dados, foi feito um comparativo entre o primeiros seis meses de 2019, 2020 e 2021. Além disso, a empresa também averiguou os níveis de inadimplência tanto das empresas quanto das pessoas físicas.

Os juros pagos pelas famílias e empresas nos primeiros seis meses de 2021 representaram 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB) semestral, somando R$ 323,7 bilhões (aumento de 7,5% em comparação ao mesmo período de 2020). A soma dos volumes destinados pelas pessoas físicas e jurídicas para a quitação de juros é superior ao total dos auxílios emergenciais distribuídos a mais de 63 milhões de brasileiros ao longo de 2020 (R$ 320,3 bilhões), e quase 20 vezes o que foi pago nos primeiros seis meses de 2021 (R$ 16,8 bilhões).

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado