Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Cofundadora do Nubank perde quase US$ 1 bi com desvalorização de ações

A empresária de 39 anos, que possuía 2,9% de participação no Nubank. Foto Gabriel Rinaldi - Forbes Brasil

Cristina Junqueira, cofundadora do Nubank, que se tornou bilionária após o IPO do banco em Wall Street, não faz mais parte do clube dos três dígitos, segundo levantamento da Forbes. A empresária de 39 anos, que possuía 2,9% de participação, elevou sua fortuna para US$ 1,3 bilhão após a valorização inicial das ações da Nubank.

Com a conquista, Cristina se tornou a segunda mulher self-made mais rica do Brasil, atrás apenas de Luiza Trajano. No entanto, desde a estreia em Nasdaq, os papéis se desvalorizaram mais de 40%, o que fez o patrimônio da executiva diminuir para cerca de US$ 900 milhões. Só em janeiro, as ações do Nubank recuaram 29%, ante queda de 9% do índice S&P no mesmo período.

Apesar da queda das ações, o CEO do Nubank, David Vélez, segue bilionário. A sua participação no banco digital é de 23%, equivalente a US$ 7 bilhões hoje, abaixo dos US$ 10,2 bilhões do mês passado. Edward Wible não tem uma participação significativa; ele deixou seu cargo como CTO em abril, mas permanece na empresa como um engenheiro de software.

Publicidade

Cristina Junqueira ganhou o status de bilionária em dezembro de 2021, quando o banco digital brasileiro abriu capital na Bolsa de Valores. Antes do Nubank, ela comandou a maior divisão de cartões de crédito do Itaú. O Nubank tem hoje 48 milhões de clientes – 35 milhões deles usam o aplicativo pelo menos uma vez por mês – no Brasil, México, Colômbia e Argentina.

Fonte: Forbes Brasil

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado