Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Um Olhar sobre as Profissões com Gabriel Junqueira

Imagem: Arquivo pessoal/Gabriel Junqueira

O Portal Economic News entrevistou Gabriel Junqueira, sócio fundador do Cupom Verde, primeira carteira digital de documentos fiscais. Além de fundador da startup, é editor do portal InfoVarejo, focado no dia a dia do varejo do Brasil. Atuou na Avanço Informática e em outras empresas de retail tech. É economista pelo IBMEC e administrador de empresas pela EM Strasbourg Business School na França. Na entrevista, Junqueira nos conta sobre o Cupom Verde, os próximos passos e a importância de desenvolver negócios com propósito. 

Confira a entrevista completa:

ENB: Gabriel, em uma palestra sua, fez questão de apresentar todas as empresas que abriu, inclusive, as que não deram certo. Você acredita que quanto mais erramos mais acertamos?
GJ: Eu gosto muito de um provérbio japonês que diz “Pouco se aprende com a vitória, mas muito com a derrota”, e acredito que dúvidas, fracassos e iniciativas que não tiveram os resultados esperados, tiveram muito a nos ensinar. Nesse ambiente de startups, de empreendedorismo, existe a desmistificação em relação ao fracasso, de entender o erro como uma oportunidade de aprendizado e melhoria. Por isso, hoje está muito em voga uma abordagem de tentar muito, mas errar rápido e pequeno, justamente para a gente gerar esse looping de aprendizado e ter agilidade nos nossos empreendimentos.
Obviamente que o objetivo não é errar, mas quando isso acontece, temos que tirar o melhor proveito disso. Isso é o que carrego comigo sobre os empreendimentos e iniciativas que não deram certo, e tento entender porque isso aconteceu para que não erre novamente.

conteúdo patrocinado

ENB: Dentre suas empresas ativas, está a Cupom Verde. Surgiu a partir de um sonho ou demanda de mercado?
GJ: O Cupom Verde surgiu a partir de uma junção de fatores. De um lado um conhecimento profundo e de muita experiência dos nossos sócios na área de automação comercial e da tecnologia do ponto de venda do varejo. Em paralelo a esse conhecimento de como funciona essa dinâmica do ponto de vista da tecnologia, sempre tive uma sensibilidade e uma atenção aos temas ligados à sustentabilidade.
E como empresário, também sempre acreditei que esse tema fosse inevitável e na força com que as tendências de sustentabilidade iriam aumentar ao longo do tempo. Afinal de contas, é mais do que sabido que temos apenas um mundo e que os recursos são finitos. Então, a Cupom Verde vem de uma experiência de mercado e de uma ideia de transformar um plano em algo possível.

ENB: Fale-nos sobre a Cupom Verde a partir do comportamento do consumidor.
GJ: Se para o consumidor final, a Cupom Verde representa praticidade e organização. Para o lojista, representa a questão do engajamento, da pauta sustentável e da economia. Afinal de contas, se como consumidor, pegamos algumas unidades do cupom fiscal durante o dia, o varejista imprime milhares de cupons todos os dias, o que representa um volume muito relevante de papel e de recursos naturais que são utilizados.
O cupom fiscal é impresso em papel térmico, que não é reciclável e que por ser revestido por derivados de petróleo, o varejista contribui de uma forma mais relevante para impactos negativos no meio ambiente. Com o Cupom Verde, ele tem a possibilidade de reduzir custos, uma vez que deixa de comprar tantas bobinas e reduz o uso de impressoras. Esse é um fator bem relevante, principalmente para aqueles estabelecimentos que têm muita quantidade de emissão de cupons fiscais diários, como é o caso de supermercados, farmácias, padarias e restaurantes. 

ENB: Agora, fale-me sobre o Cupom Verde e sua relação com o empreendedor. O que agrega ao seu negócio?

GJ: A pauta de sustentabilidade está cada vez mais presente na agenda dos empreendedores e das empresas, é algo inevitável uma vez que os nossos recursos naturais são finitos. Por isso, devemos cuidar do nosso meio ambiente. Eu gosto de lembrar que não é só sustentabilidade quando a gente traz o conceito de ESG, nós temos também a parte social e de governança, que é algo que os consumidores estão exigindo das empresas.
Focando na parte de sustentabilidade, eu acho que existem diversas maneiras das empresas se engajarem e isso vai depender muito do segmento de atuação e da operação da empresa, o que geralmente é simples. Existem várias referências de práticas sustentáveis em cada setor, basta o empresário começar. E aí, como começar vai depender da estratégia e das prioridades da empresa.

ENB: Como você avalia a atuação das empresas x ações que de fato são sustentáveis para o meio ambiente?

GJ: Muitas buscam aquelas iniciativas que, além de  sustentáveis, trazem também uma redução de custo, por exemplo: a troca de lâmpadas de led, a instalação de placas fotovoltaicas, são ações sustentáveis que trazem economia. Sem contar na separação correta do lixo, que é algo bem simples, mas faz diferença e gera bons resultados dentro da empresa e no município que ela está localizada.
O grande ponto é começar com alguma iniciativa sustentável na sua empresa. Faça uma pesquisa básica e tome a primeira ação, as coisas naturalmente vão acontecendo e trazendo resultados positivos para a empresa e para os colaboradores.

ENB: Quais marcas hoje acreditam no Cupom Verde? Hoje está em todo o Brasil?

GJ: O Cupom Verde está em desenvolvimento há mais de dois anos, mas foi no início do ano que fizemos o lançamento da solução para o mercado. Estamos com mais de 500 varejistas ativos e operando com Cupom Verde, desde pequenas padarias até uma das maiores redes de supermercados do centro-oeste do Brasil, que conta com 32 lojas utilizando o Cupom Verde no seu dia a dia para reduzir o impacto do papel térmico na natureza. 

Além disso, a gente conta com a parceria de grandes marcas que apoiam o projeto e nos ajudam a catalisar esse movimento, como é o caso do Itaú. Hoje, o Cupom Verde está operando basicamente todo território nacional, em atuação em 20 estados do Brasil.

ENB: Próximos passos: o que a Cupom Verde está preparando para o mercado?

GJ: A gente está apenas no começo, a nossa principal missão agora é realmente trazer cobertura para os clientes, ou seja, o maior número possível de lojas estarem aptas a emitir o Cupom Verde. Para que o consumidor consiga inibir a impressão do papel térmico, já temos vários projetos em paralelo e a gente entende que o Cupom Verde tem algumas oportunidades muito relevantes. Principalmente quando a gente pensa na conexão de consumidores finais e iniciativas socioambientais.

Atualmente, nós plantamos uma árvore para cada árvore preservada com a inibição da impressão do papel térmico. Também trazemos iniciativas e ONGs para fazer esse plantio e nossa ideia é conectar essas iniciativas aos consumidores finais para que o próprio consumidor conheça essas iniciativas e se interesse também em participar desse movimento de reflorestamento e de outras iniciativas em relação à sustentabilidade.

Nós temos outros projetos em estudo sobre como podemos ajudar a reciclagem, a logística reversa, que são temas que estão bastante presentes no nosso dia a dia e que sem dúvidas ajudará com a evolução da nossa missão.

ENB: Você também tem outras empresas. Quais e suas atuações?
GJ: Já atuei na área de automação comercial, mas hoje estou totalmente dedicado ao Cupom Verde. Também criei o portal de conteúdo, focado em tecnologia e varejo, chamado Info Varejo. Ainda atuo com a produção de alguns conteúdos, mas hoje já possui uma operação própria. A startup sempre exige muita energia e muita atenção, por isso que eu tenho me dedicado integralmente. São várias as iniciativas que a gente tá tocando, são muitas as oportunidades e a operação em si que temos que estruturar. Hoje já temos 30 colaboradores, estamos com área de desenvolvimento, atendimento, comercial, marketing e jurídico. Então é necessário um olhar mais direcionado a isso.

ENB: Antes de investir ou criar uma startup quais seus conselhos?

GJ: Toda nova iniciativa empresarial deve nascer para resolver um problema. Muitas vezes eu vejo inovações sendo criadas por uma finalidade própria que tem pouca aderência pois não busca atender a um problema real, sendo que a gente tá cheio de problema para resolver. Eu sou muito adepto do foco no problema real, buscar sempre deixar claro qual é a proposta de valor da empresa, qual é o problema que será solucionado. Ter uma visão cada vez mais holística do mercado, para ver onde há necessidade de inovar, onde encontrar soluções para várias situações.

Acredito muito que isso só é alcançável quando você dedica um bom tempo da sua vida a um determinada área de negócio, para você realmente ter profundidade e entender bem os problemas, saber formas de buscar resoluções e conhecer os principais erros dos predecessores para aprender com eles. Criar conexões para o seu negócio é fundamental para fazer acontecer. Ninguém faz nada sozinho e é na cooperação, no conhecimento e na visão geral que temos maior chance de acerto.

ENB: Um Olhar sobre o Economic News por Gabriel Junqueira 

GJ: Fui apresentado ao Portal Economic News Brasil neste ano, em uma visita que a Diretora de Redação, Mônika Vieira, a Belo Horizonte, e pude conhecer e acompanhar as várias notícias frescas sobre o mundo dos negócios. Achei bem interessante os artigos de opinião de especialistas em várias áreas. Para mim é uma honra participar desse espaço do Economic News Brasil e tenho imensa gratidão por poder apresentar o Cupom Verde aqui.

 

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado