Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Um Olhar sobre as Profissões com Fabio Soares

(Foto: Fabio Soares/Arquivo Pessoal)

Um Olhar sobre as Profissões de hoje é com Fabio Soares, atual secretário de Administração, Planejamento e Finanças do município de Canindé. Com formação acadêmica em Filosofia, Sociologia, Ciências Políticas e especialização em Administração Pública, Fábio nos conta sobre a carreira no setor público, as influências acadêmicas e como os trabalhos desenvolvidos ao longo dos anos fortificaram o profissional que é hoje.

Confira a entrevista completa:

1- Conte-nos um pouco sobre o início da sua vida profissional

conteúdo patrocinado

Em relação a minha carreira profissional, iniciei trabalhando em uma instituição religiosa chamada Paróquia de São Francisco, onde atuei durante 16 anos. Quatro anos antes de ingressar na vida pública, atuei à frente de um projeto de inclusão social onde trabalhamos com menores carentes, oferecendo diversos cursos de qualificação técnica e cultural para jovens adultos e adolescentes da cidade de Canindé. Fiz graduação licenciatura em Filosofia e atuei como professor do Estado durante quatro anos e, atualmente, atuo no setor público como secretário de Administração, Planejamento e Finanças no município de Canindé, no sertão central do Ceará.

2 – Ingressar no setor público já era uma expectativa sua ao iniciar a carreira?

Na realidade, eu não tinha a expectativa de ingressar no setor público. Mas surgiu a oportunidade e o desafio de aprender mais sobre a administração pública para conduzir esses trabalhos e atender de forma satisfatória os anseios da chefe do executivo e da própria população. 

É um serviço bastante exigente, que requer muito zelo, muito cuidado e atenção. Sobretudo muito conhecimento sobre diversas áreas, como RH, contabilidade, controle interno, parte jurídica e assim por diante. Para mim foi um grande desafio ter que me adaptar ao setor público, mas afirmo aqui que está sendo uma experiência muito positiva na minha vida. 

3- Como sua formação como professor auxiliou na gestão das demandas do setor público?

Trabalhar como professor foi muito bom. Agregou demais na minha carreira, na minha formação tanto como pessoa como profissional. Porque, quando se está na cadeira da faculdade, aprendendo, é uma coisa. Já quando se ocupa a posição de responsável por compartilhar conhecimento em sala de aula, é um ambiente bem diferente. 

Ser professor é um incentivo a você buscar sempre se aprofundar e estudar para que haja cada vez mais domínio do conteúdo. E como minha área é de humanas, sempre é necessário trazer os aprendizados dos livros para dentro da realidade e do nosso contexto social. 

4- O sr. trabalhou durante vários anos junto à igreja. Como suas vivências e estudos fortaleceram o profissional que é hoje?

Ter trabalhado durante 16 anos na Paróquia de São Francisco me ajudou muito a ser o que sou hoje. Na realidade, acredito que uma das motivações do convite à Secretaria de Administração, Planejamento e Finanças foi justamente o fato de ter trabalhado tanto tempo nessa instituição e ter obtido bons resultados. Todo esse período de prestação de serviço me guiou bastante e até hoje sigo como voluntário ajudando e colaborando da forma que posso.

5-  O senhor já foi candidato a vereador do município de Canindé, pode nos contar mais sobre como se deu esse processo?

Como a gente costuma ouvir aqui, a política é muito dinâmica, seja no contexto federal, estadual ou municipal. Em dado momento, houve a necessidade de ingressar de fato como candidato a vereador, até para ajudar a equipe, agregar voto, e a gente conseguir um número razoável de vereadores do nosso partido.

O intuito, objetivo final, não era chegar até a Câmara. Mas sim, ajudar a conseguir mais votos para que os colegas pudessem chegar e assumir cadeiras no Legislativo. Digo aqui que foi uma experiência muito positiva. Consegui aprender mais ainda sobre a vida política partidária, como ela funciona. Apesar de ser, para mim, um desafio, porque foi a primeira vez. 

Portanto, tive essa experiência e hoje eu não pretendo mais ser candidato. Sempre motivo muito os jovens que queiram ingressar na vida pública, política e partidária. Mas foi uma experiência que, de qualquer forma, agregou também na minha formação como todo, principalmente se tratando da vida pública que é necessário termos essas figuras. A gente precisa, vez por outra, estar realmente dentro desse contexto político para entender realmente a importância de cada um deles.

6- Quais os principais desafios de atuar na Secretaria de Administração, Planejamento e Finanças?

Na parte administrativa, nosso trabalho envolve: patrimônio, controle, jurídico e RH. Para conduzir tudo isso é necessário que sempre haja planejamento, saber que processos estamos realizando, que despesas estamos contraindo até chegar às finanças. Para mim, o maior desafio foi logo no início, pois eu não tinha nenhuma experiência no setor público tampouco conhecimento aprofundado.

Por isso, fui estudando. Fiz uma especialização em Administração Pública que ajudou bastante a entender as várias faces do setor público e auxiliou na condução desses trabalhos na secretaria. É um cargo bastante exigente, mas quando você entende a funcionalidade das coisas, você vê o quanto é importante ter alguém que possa conduzir com transparência, seriedade e com responsabilidade essa pasta que é quase o “motor” do município. 

7- Como funciona sua gestão e quais apontamentos valem destaque quanto a sua atuação como secretário do município?

Nós temos vários setores que estão sob a nossa coordenação. Existem dois pontos que valem destaque: o diálogo intersetorial e transparência na atuação frente a secretaria. O diálogo é essencial e quando vamos colocar algo novo, reunimos as equipes, buscamos ouvir a opinião de cada um, visitar cada setor para ver como estão os trabalhos e quais são as necessidades daquele grupo, sempre deliberando as necessidades de modo que seja possível atender as demandas com satisfação.

O outro princípio que gostaria de apontar é a transparência. Estamos trabalhando com várias equipes, sempre buscando sistemas que possibilitem o máximo de transparência das ações públicas, seja por meio dos portais seja pela clareza que empregamos nossas ações perante a população.

8- O sr. estudou sociologia, filosofia e política social, como se aprofundar nesses temas impulsionou suas decisões junto a gestão pública?

Hoje, mais do que nunca, estou convencido de que você precisa ter conhecimento em diversas áreas. Não que você seja especialista em todas as áreas, mas você precisa conhecer um pouquinho de cada. Estudar Filosofia, Sociologia e Política Social me ajudou a compreender o contexto socioeconômico do município e do País. 

O que nos auxilia a tomar decisões que são importantes para todos em geral. Seja no trato com uma determinada categoria que precisamos negociar uma pauta salarial, por exemplo; ou saber se o município vai conseguir atender determinadas demandas sem causar prejuízos a outros serviços. Me aprofundar nessas áreas do conhecimento me ajudou e segue ajudando bastante na tomada de decisão e, claro, na busca por apontar a ação mais assertiva a favorecer a população.

9- Quais os próximos passos: projetos, desafios e sonhos?

Eu penso que precisamos avançar cada vez mais na área da qualificação. Já que estamos em um mundo que necessita muito de pessoas preparadas, de pessoas honestas e responsáveis, que queiram realmente fazer diferente,

Dou um exemplo de como “recebemos” o município. E aponto que é possível a gente trabalhar de forma que haja sempre um futuro, ações positivas e estratégicas para potencializar nossa gestão e o povo. Fomos superando, passo a passo, esses desafios, construindo novos projetos, e hoje nós temos uma situação bem diferente.

Quando antes o município não conseguia pagar nem salário de servidor em dias e hoje a gente já tem um calendário de pagamentos, onde anunciamos os pagamentos do final do mês para o mês subsequente. Ações assim, permitem que a gente possa visualizar uma educação com mais qualidade, transportes para a população, reformas e melhorias que estão sendo possíveis. 

E claro que isso é a soma de vários esforços. Fico feliz por ter colaborado com a concretização de tudo isso, é um sonho que de fato isso possa ser continuado por outras pessoas. Que a gente possa, quem sabe, fazer experiência em outros setores para também poder praticar tudo que aprendemos aqui.

Gosto muito do setor público, do trabalho administrativo. E, no futuro, pretendo continuar nessa área, seja no controle interno, patrimônio, RH. Acredito que seja uma forma de colaborar com o futuro das pessoas, sobretudo da cidade onde resido.

10- Um Olhar sobre o Economic News Brasil por Fábio Soares

Sempre acompanho as matérias que são postadas e, realmente, é um trabalho que tem produzido um efeito muito positivo, principalmente a nível de conhecimento. Quando a gente escuta profissionais de diversas áreas, especialistas, que trazem temas como empreendedorismo, administração pública e tantos outros, isso colabora demais com o nosso processo formativo.

E a gente reconhece que, de fato, precisamos aprender muito para fazer mais. E o Economic News Brasil tem colaborado muito nesse sentido, na disseminação, na propagação de informações seguras, de notícias, que realmente colaboram para esse crescimento profissional, tanto do agente que trabalha no setor privado como também do agente público. 

Deixo o meu abraço e gostaria de dizer que foi um prazer estar participando com vocês dessa entrevista do Um Olhar Sobre as Profissões.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado