Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Soro do Leite: com tarifa de importação reduzida, insumo pode ganhar ainda mais espaço

(Foto: Pixabay)

A venda nos mercados do soro do leite tomou conta da discussão sobre o preço do leite longa vida na última semana. O insumo, que é uma necessidade básica para muitos brasileiros, está com valores mais elevados que o do combustível. Na última semana, o Governo Federal também diminuiu os impostos de importação do soro, abrindo uma alerta para a produção nacional de laticínios.

Na última quarta-feira (17/08), o Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) diminuiu a alíquota de sete itens da pauta de importação do Brasil. Dentre os produtos está o soro do leite, que nos últimos dias ganhou as redes sociais ao ser comercializado nos mercados brasileiros como alternativa ao leite longa vida, que tem sofrido com valores elevados. Para Fábio Pizzamiglio, diretor da Efficienza, empresa especializada no comércio exterior, a proposta do governo é positiva.

“A diminuição do imposto de importação vem como uma medida que segue o Mercosul e busca diminuir o impacto do conflito na Ucrânia na economia da América do Sul. Porém, é complexo afirmar que essa proposição terá um efeito imediato no valor do leite longa vida comercializado nos mercados, principalmente porque a produção do insumo ainda depende de outros encargos, como o da logística, que está completamente atrelado ao valor dos combustíveis.”, afirmou Pizzamiglio. Com a medida, as tarifas de importação desses produtos, que variavam de 11,2% a 35%, serão zeradas ou reduzidas a 4% a partir de 1º de setembro.

conteúdo patrocinado

Além disso, o especialista aponta que o soro do leite pode ter mais abertura nos mercados brasileiros no próximo mês. “O certo será que o soro do leite, como alternativa para as famílias nos mercados brasileiros, será algo mais comum a partir de setembro”, completou. Na última sexta-feira (19/08), o valor do leite apresentou uma diminuição de preço nos mercados brasileiros. Porém, com o crescimento acumulado, com alta de 80% no ano, é difícil ver o insumo com preço baixo no mercado.

“Por mais que tenhamos iniciativas como a diminuição dos impostos de importação, que podem afetar diretamente a indústria nacional, ainda temos que aguardar a definição de outros fatores. A baixa do valor do leite está muito atrelada à demanda pelo produto e a busca dos consumidores por alternativas no mercado. Porém, a cadeia produtiva ainda demanda muito de aspectos internacionais que podem impulsionar o valor dos produtos”, destacou o especialista.

Outra questão apresentada pelo especialista é a demanda externa pelo produto. Muitas produtoras brasileiras acompanharam os preços elevados no mercado externo, causados pela guerra no leste europeu. Isso tem um retrospecto positivo, pois contribuem para o bom resultado do agronegócio nas exportações, mas afeta o preço nos mercados. A exportação de carne bovina no Brasil, por exemplo, apresentou uma alta de 28% no comparativo anual, apresentando resultados recordes.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado