Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Telemática: aliada para aumentar a economia de combustível e a eficiência das frotas

*Por Eduardo Canicoba

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), realizada pela Euroconsumers, aponta que 44,5% dos brasileiros estão evitando usar seus automóveis por causa do aumento no preço da gasolina. Além disso, o preço do diesel, utilizado por cerca de 60% dos veículos de transporte de carga, chegou ao valor médio de R$ 6,94 em junho, atingindo o maior valor nominal desde 2004. Nesse cenário, o que acontece com as empresas que dependem do transporte e não podem deixar de utilizar seus veículos?

Neste momento de adaptação das rotinas e otimização das operações nas frotas, a telemática aparece como a melhor aliada. Para muitas empresas, o consumo de combustível e os custos relacionados a ele são uma prioridade, uma vez que envolvem uma das maiores despesas para as frotas, sendo o responsável por 60% dos custos operacionais totais. Assim, à medida que os preços aumentam, há ainda mais pressão sobre os gestores para controlar os custos, mantendo as operações em andamento e os clientes satisfeitos.

conteúdo patrocinado

É neste ponto que a tecnologia pode ajudar: ao se conectar à telemática, os gestores de frotas podem ter acesso a dados que lhes fornecem informações valiosas sobre o uso e eventuais desperdícios de recursos. Já existem no mercado ferramentas fundamentadas em big data e analytics, capazes de fornecer uma visão aprofundada das rotinas relacionadas às frotas, por meio de relatórios personalizáveis que ajudam as empresas a gerenciar melhor seus veículos e tomar decisões baseadas em dados.

O monitoramento de diversos aspectos dos veículos está se tornando cada vez mais simples, e os dados coletados geram relatórios que podem ajudar a otimizar o uso de combustível e identificar comportamentos de direção que causam desperdícios, como condução agressiva, entre outros fatores. Os dados podem ser usados para planejar o treinamento dos condutores, a fim de educá-los para evitar tais ações, e possibilitam a criação de um ranking dos melhores motoristas, por exemplo, incentivando melhores práticas ao volante com a possibilidade de premiação. Algumas das ferramentas que podem ajudar nesta gestão unificada são:

Relatórios de uso de combustível: resume a economia de combustível, a distância percorrida e o uso dos recursos em um determinado período. O relatório pode ser filtrado por veículo ou tempo, e ajuda os gestores de frota a identificar a eficiência de combustível e o desempenho geral ou em veículos específicos. É possível ainda controlar a economia de seus ativos e determinar ações necessárias para aumentar a eficiência e reduzir os custos, melhorando o comportamento do motorista ou visando a manutenção preditiva.
Relatórios de abastecimentos: controla o nível de combustível do veículo a partir dos abastecimentos ou, até mesmo, das transações adicionadas ao sistema pelo usuário. Dessa forma, é possível analisar se existem situações divergentes, como roubos, desvios ou vazamentos de combustível, que possam precisar de uma investigação mais aprofundada, e utilizar esses dados de telemática para validar a utilização de recursos.
Relatórios de manutenção: atrasos na manutenção podem gerar gastos inesperados para os gestores e até mesmo ter um impacto no aumento do consumo de combustível. Soluções telemáticas podem ser configuradas para de emitir lembretes para que a revisão seja feita dentro do período estimado, além disso, o sistema também consegue identificar pequenos sinais do veículo que apontam para uma futura falha, permitindo uma manutenção preditiva. Com isso, pequenos ajustes podem ser feitos antes que se tornem um problema maior na frota.
Mais estratégias para melhorar a eficiência de consumo de combustível

Além de utilizar as ferramentas certas para melhorar o desempenho geral do uso de combustível, também é necessário implementar novas estratégias à gestão das frotas e se perguntar o que mais afeta o consumo. Alguns comportamentos “inofensivos”, como deixar veículos parados com motor ligado, usar o ponto morto, além de condução agressiva, podem desperdiçar combustível, prejudicar o veículo e trazer riscos para os motoristas e demais condutores.

Por isso, os gestores precisam estar atentos à revisão de relatórios de tendências para rastrear padrões e identificar anomalias, avaliando a eficácia dos programas e treinamentos implementados. Otimizar as rotas e reduzir as quilometragens percorridas, por exemplo, pode levar a mais visitas a clientes por dia, maximizando a produtividade, ganhando mais tempo (e dinheiro) na estrada.

Ou seja, se um gestor busca maneiras de reduzir custos e aumentar a eficiência das operações, o consumo de combustível é uma das principais áreas a serem observadas. O dinheiro economizado pode ser redirecionado para áreas de negócios mais valiosas, como desenvolvimento de produtos, operações e recursos humanos ou treinamento. Dessa forma, a telemática aparece como peça fundamental para que as engrenagens funcionem dentro das melhores práticas, pois o amplo leque de informações ao qual ela dá acesso traz os insights necessários para aprimorar a gestão.

*Eduardo Canicoba é vice-presidente da Geotab para o Brasil.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado