Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Mais de duas toneladas de resíduos foram coletadas durante o Festival de Verão

Mesmo tendo a música como protagonista, a sustentabilidade também foi marca do Festival de Verão 2023, que aconteceu no Parque de Exposições de Salvador nos dias 28 e 29 de janeiro. Enquanto os artistas embalavam as 80 mil pessoas que passaram pelo local, uma equipe de cerca de 60 catadores, além de coletar, fazia um trabalho fundamental: a triagem dos resíduos sólidos produzidos durante o evento. Quem passou pelo espaço do FV23 não deixou de notar a ‘Tenda Sustentável’, stand inédito de triagem de resíduos, que além de permitir a separação ao vivo, estava aberto ao público, possibilitando que as pessoas pudessem interagir e tirar dúvidas. A iniciativa está alinhada à nova campanha da Coca-Cola América Latina, “Somos Muitos” que celebra o papel das pessoas nas mudanças positivas e reforça o compromisso de inovar e oferecer novas soluções para os desafios, como a gestão de resíduos.

A ação educativa teve suporte do Recicla Solar, projeto de apoio à reciclagem da Solar Coca-Cola, segunda maior fabricante do Sistema Coca-Cola do País, em parceria com a Coca-Cola Brasil. À frente do stand e do trabalho de coleta de resíduos estava a equipe da Cooperativa de Coleta Seletiva Processamento de Plástico e Proteção Ambiental (CAMAPET). Ao todo, foram coletadas mais de 2,2 toneladas de resíduos. Entre os materiais coletados estão metal (1.293 kg), plástico (594,8 kg), papel e papelão (164 kg), vidro (158 kg) e materiais orgânicos (51 kg).

De acordo com Fernanda Raizama, diretora regional da Solar, o foco da iniciativa durante o FV23 foi a conscientização sobre a sustentabilidade e a contribuição para a economia circular. “Estimulamos a coleta e a parceria com cooperativas, tanto no nosso território com o Recicla Solar, quanto em todo o país por meio do Reciclar Pelo Brasil, plataforma nacional de reciclagem da Coca-Cola Brasil. Dessa maneira, a Solar age em todas as pontas do processo de circularidade. Nossa intenção é que todo esse resíduo seja beneficiado, possa retornar para uma fábrica de resina e ser reutilizado para fabricação de mais embalagens produzidas de maneira ecologicamente correta”, conclui.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

Além de reduzir o impacto ambiental de um dos principais eventos musicais do país, a ação teve também uma importante contribuição social. Após prensado, todo o material será destinado à agregadora Carbongreen e comprado pelo Recicla Solar, impactando positivamente as famílias dos cooperados. A iniciativa reforça a visão de um Mundo Sem Resíduos da Coca-Cola Company, no qual a empresa tem a meta de, até 2025, ter 50% de material reciclado nas embalagens e, até 2030, dar destinação adequada a 100% das embalagens que a companhia coloca no mercado.

Katielle Haffner, Head de Sustentabilidade, Relações Públicas e Comunicações da Coca-Cola Brasil, comemora os resultados da ação inédita.

“Fazer essa iniciativa acontecer foi um desafio, mas sabíamos que, ao final, teríamos um resultado extraordinário, além da possibilidade de impactar positivamente as milhares de pessoas que passaram pelo evento e puderam aprender um pouco mais sobre um tema que é tão valorizado pela Coca-Cola, a reciclagem. Apoiamos iniciativas de coleta e reciclagem em grande escala como essa, pois entendemos que é a base para criação de uma economia circular genuína, além de promover a educação ambiental e gerar impacto social positivo. Estamos empenhados em pensar e desenvolver soluções para aumentar as taxas de coleta e reciclagem de garrafas PET pós-consumo e garantir o fornecimento de PET de que precisamos”, afirma.

Sobre o Recicla Solar

Para somar esforços ao compromisso WWW, em 2021 a Solar Coca-Cola, com o apoio da Coca-Cola Brasil, lançou o Recicla Solar, que vem ampliando significativamente a coleta seletiva e a promoção de impacto socioeconômico positivo no Nordeste. O programa visa estimular a cadeia de reciclagem, contribuindo para a destinação adequada dos resíduos por meio de parcerias com centrais de coleta, organizações de catadores e agregadores de PET pós-consumo em Pernambuco, Ceará e Bahia.

Os resultados já mostram o fortalecimento da economia circular. Ao todo, nos últimos dois anos, aproximadamente 10 mil toneladas de PET já foram coletadas com a iniciativa encerrando 2022 superando a meta do ano e conseguindo produzir atualmente 23% de PET com resina reciclada em suas embalagens. Para este ano, a previsão é que o programa se expanda para outros estados do Norte e Nordeste.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado