Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Brasil enfrenta alta de 14% nos furtos de cabos de telecom em 2022, deixando 7 milhões sem serviços essenciais

O grupo Werthein tem ativos em telecomunicações, finanças, seguros, agronegócio e imóveis. No passado, foi sócio ao lado da Telecom Italia na Telecom Argentina. Atualmente, o grupo tem participação no ARBR, ramal que liga o Brasil à Argentina do cabo Seabras-1.(Foto de panumas nikhomkhai no Pexels)
O grupo Werthein tem ativos em telecomunicações, finanças, seguros, agronegócio e imóveis. No passado, foi sócio ao lado da Telecom Italia na Telecom Argentina. Atualmente, o grupo tem participação no ARBR, ramal que liga o Brasil à Argentina do cabo Seabras-1.(Foto de panumas nikhomkhai no Pexels)

Em 2022, o Brasil registrou um aumento de 14% nos casos de furto e roubo de cabos de telecomunicações, alcançando a marca de 4,72 milhões de metros de cabos subtraídos, conforme apontam os dados fornecidos pela Conexis Brasil Digital. Esse crescimento ocorre após o ano de 2021 ter apresentado uma diminuição de 11% em comparação com 2020, quando 4,13 milhões de metros de cabos foram furtados ou roubados.

As atividades criminosas afetaram aproximadamente 7 milhões de consumidores, que ficaram impossibilitados de acessar serviços de comunicação fundamentais, como emergências médicas, polícia e bombeiros. Em relação ao ano anterior, o número de clientes afetados subiu 14%.

A extensão dos cabos furtados em 2022 seria o suficiente para conectar, em linha reta, o Monte Caburaí (RR), extremo Norte do Brasil, ao Arroio do Chuí (RS), extremo Sul do país.

Publicidade

Conforme publicado pelo Monitor Mercantil, o setor de telecomunicações está preocupado com o aumento no volume de cabos furtados, uma vez que isso implica prejuízos diretos a milhões de clientes e empresas, que precisam repor esses equipamentos. Ademais, essas ações criminosas afetam serviços públicos essenciais, como polícia, bombeiros e emergências médicas.

São Paulo lidera o ranking dos estados mais atingidos por esses crimes, com 1,035 milhão de metros de cabos furtados ou roubados em 2022, embora tenha apresentado uma diminuição de 4,2% em relação a 2021. O Paraná ocupa o segundo lugar no ranking, com 1,01 milhão de metros de cabos subtraídos, um aumento de 66% em relação ao ano anterior. Minas Gerais teve o maior crescimento percentual, com 119% de aumento nos furtos e roubos de cabos, somando 626,2 mil metros e passando da quinta para a terceira posição entre os estados mais afetados.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado