Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Análise da aquisição da Garoto pela Nestlé pode chegar ao fim após duas décadas

(Fotot: Divulgação)

Em 2002, a Nestlé, multinacional suíça, adquiriu a Garoto, uma movimentação de mercado que desde então tem sido motivo de discussões e análises constantes pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Agora, após mais de duas décadas, a análise desse caso emblemático pode finalmente ser encerrada.

Na época da aquisição, a Nestlé passou a controlar 58% do mercado brasileiro de chocolates, com a Lacta, sua principal concorrente, detendo 33%. Este movimento gerou uma série de debates sobre a concorrência e a necessidade de estabelecer limites para a atuação das empresas no mercado.

O Cade inicialmente vetou a operação em 2004, mas a decisão foi suspensa pela Justiça no ano seguinte. Em 2009, a decisão foi anulada e o Cade foi obrigado a reanalisar o caso, uma saga jurídica que tem se estendido até hoje.

Publicidade

A Nestlé propôs um acordo ao Cade, mas foi negado. No entanto, o processo é o primeiro item na pauta de quarta-feira e será relatado na sessão pelo presidente do Cade, Alexandre Cordeiro. A expectativa é que um acordo firmado com a Nestlé seja aprovado pelo Tribunal na sessão do dia 7.

Os termos do acordo não deverão envolver a venda de marcas, mas podem incluir restrições a novas aquisições e a exigência de manutenção de investimentos por parte da Nestlé. Os termos completos do acordo serão revelados na sessão.

A análise deste caso emblemático, que já passou por reprovação, descumprimento de acordo e determinação judicial para novo julgamento, vem recebendo atenção extra para evitar novas reviravoltas. Com a inclusão na pauta do dia 7, a expectativa é de que o julgamento possa finalmente chegar ao fim.

A decisão final sobre a aquisição da Garoto pela Nestlé terá um impacto direto no setor e poderá estabelecer precedentes para casos semelhantes no futuro. Por isso, é uma questão de interesse e preocupação em todo o mercado de chocolates brasileiro.

Confirma matéria anterior sobre o caso AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado