Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

IPCA: inflação brasileira acelera em julho, sinaliza IBGE

Foto: Freepik

O mercado brasileiro registrou um aumento na inflação em julho, conforme divulgado nesta terça-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) demonstrou uma elevação de 0,23% no período, acumulando uma alta de 3,23% ao longo do ano e 4,61% nos últimos doze meses.

Os olhos dos investidores locais estavam atentos à divulgação do IPCA nesta manhã, o último índice antes da próxima sessão do Comitê de Política Monetária (Copom), que possivelmente determinará um novo reajuste na taxa básica de juros, a Selic. A expectativa predominante, de acordo com as opções de Copom negociadas na B3, é de um declínio de 50 pontos base na taxa, ajustando-a de 13,25% para 12,75%.

A inflação oficial, IPCA, teve uma pequena oscilação positiva de 0,23% em agosto, uma leve aceleração comparada com o aumento de 0,12% registrado em julho, como indicado pelo IBGE. Em agosto de 2022, a inflação teve uma reviravolta, registrando uma taxa negativa de 0,36%. A alta acumulada do IPCA em 2023 está fixada em 3,23%, enquanto a variação anual foi de 4,69%, ultrapassando a previsão mínima de 33 meses notada em junho, que era de +3,16%.

Publicidade

Em relação às categorias de produtos e serviços analisados, seis apresentaram crescimento em julho, com destaque para o grupo Habitação, que teve o maior impacto positivo de 0,17 p.p. e uma variação de 1,11%. Também se destacam as categorias Saúde e cuidados pessoais e Transportes, com altas respectivas de 0,58% e 0,34%. Contrariamente, o setor de Alimentação e bebidas viu uma diminuição por três meses consecutivos, registrando uma queda de -0,85%.

Os especialistas do mercado esperavam uma inflação mensal de 0,28% e uma variação anual de +4,67%, indicando que a inflação do mês ficou ligeiramente abaixo das previsões. Agora, com as projeções indicando uma subida anual significativa, todos os olhares estão voltados para as futuras decisões do Copom e suas implicações na economia brasileira.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado