Pesquisar
Close this search box.

DOC e TEC chegam ao fim definitivamente nesta quinta (29)

transações DOC e TEC chegam ao fim
(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil).

O sistema bancário do Brasil sofrerá uma alteração importante, com a descontinuação das transações DOC e TEC, a partir desta quinta-feira (29). Com o fim dessas transações, quase quatro décadas de operação chegam ao fim. No lugar, assume o Pix, um método de pagamento que se destaca por ser instantâneo e gratuito.

A decisão, anunciada previamente pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) no dia 15 de janeiro, estabelece esta data como o último prazo para a realização dessas operações tradicionais. Isaac Sidney, presidente da Febraban, reflete sobre a mudança, explicando que “A decisão de encerrar o TED e o DOC veio naturalmente. Os clientes já vinham optando pelo Pix devido à sua agilidade e custo zero. Observamos uma transição suave, com o Pix atendendo e até superando as expectativas dos usuários em termos de eficiência e praticidade.”

De acordo com o Banco Central, o DOC constituiu apenas 0,03% do volume total processado pelo Pix em novembro de 2023, evidenciando uma mudança drástica nas preferências de pagamento dos brasileiros. O Pix liderou com 17,6 bilhões de transações, ultrapassando outros métodos como cheques, TED, boletos, e cartões de débito e crédito.

Danilo Porto, sócio da QI Tech, comenta sobre a transição, “O modelo do DOC, embora tenha servido bem ao seu propósito no passado, não conseguia competir com a inovação introduzida pelo Pix em 2020. O Pix não apenas simplificou as transações financeiras, mas também introduziu um nível de eficácia e acessibilidade sem precedentes, marcando um novo capítulo para o Sistema Financeiro Nacional.”

O Pix se diferencia pelo seu sistema de transferências automáticas, com limites de valor ajustáveis pelos próprios usuários. Em contraste, o DOC e a TEC possuíam um limite máximo de R$ 4.999,99 e prazos de processamento que podiam estender-se até o dia seguinte ou ser concluídos no mesmo dia, respectivamente. Vale ressaltar que, para transferências realizadas entre 20h e 6h, o limite é de R$ 1.000, valor que pode ser aumentado a pedido do cliente, apesar das recomendações de cautela do Banco Central.

Este avanço reflete a contínua adaptação do Brasil à digitalização, buscando soluções financeiras que proporcionem maior rapidez e conveniência para os usuários.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado