Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Live Nation na justiça: fim do monopólio e redução nos preços dos ingressos?

Procurador-geral quer desmembrar a empresa

Monopólio da Live Nation. (Foto: Aditya Chinchure/Unsplash)
Monopólio da Live Nation. (Foto: Aditya Chinchure/Unsplash)

O Departamento de Justiça dos EUA e mais de 24 estados entraram com um processo contra a Live Nation nesta última quinta-feira (23). Os promotores alegam que a companhia opera um monopólio nos segmentos de promoção de eventos e venda de ingressos. A ação foi movida no tribunal federal de Nova York.

Práticas anticompetitivas

Nesse contexto, a Live Nation é acusada de usar seu poder econômico para suprimir competidores e retaliar eventos ou casas que se colocam contra sua posição de dominância. O processo destaca contratos de longo prazo entre a Ticketmaster e locais onde artistas renomados se apresentam, fechando esses locais para concorrentes.

Monopólio do Live Nation: conluio com Oak View Group

Além disso, o processo também alega que a Live Nation age em conluio com a Oak View Group. Esta operadora de estádios desistiu de atrair shows e influenciou seus estádios a assinar acordos com a Ticketmaster. Nesse sentido, o objetivo seria forçar a Live Nation a vender a gigante de bilheteria Ticketmaster.

Publicidade

Leia também:

Impacto nos preços dos ingressos

A dominância da Live Nation tem levado a preços e taxas mais altos para os consumidores. De tal modo, o procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, afirma que chegou a hora de quebrar o poder da empresa. Segundo ele, isso resultará em preços mais baixos para os consumidores.

Controle sobre locais de shows

Além disso, o monopólio da Live Nation implica no controle de mais de 265 locais de shows na América do Norte e gerencia mais de 400 artistas musicais. Segundo o DOJ, a empresa controla pelo menos 80% das principais bilheteiras de locais para shows. Isso leva os fãs a pagarem mais taxas porque “não há outras opções”.

Resposta da Live Nation

A Live Nation chamou o processo de uma possível “vitória de relações públicas para o Departamento de Justiça no curto prazo”. Analogamente, a empresa afirmou que o processo “não resolverá as questões que os fãs se preocupam em relação aos preços dos ingressos, taxas de serviço e acesso a shows”. A empresa também argumenta que há mais concorrência do que nunca no mercado de eventos ao vivo.

Concomitantemente, as ações da Live Nation caíram 7,4%, para US$ 93,94, após o anúncio do processo. A abordagem do governo Biden visa criar mais concorrência em vários setores, de big techs a saúde e alimentos.

Implicações futuras

Nesse sentido, tanto fãs de shows quanto políticos pedem há anos uma reavaliação da compra da Ticketmaster pela Live Nation em 2010. O DOJ, portanto, busca desmembrar a Live Nation em empresas menores, o que pode impactar o mercado de eventos ao vivo nos EUA e no mundo.

Leia também:

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado