Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Novo programa do Governo corta preços de veículos e subsidia ônibus e caminhões

Em coletiva no Palácio do Planalto no final de maio, o governo havia anunciado um pacote de medidas destinado a diminuir o preço dos veículos de até R$ 120 mil. Nesta segunda-feira (05/06), o vice-presidente e Ministro da Indústria, Geraldo Alckmin, afirmou que os planos mudaram e agora o plano proporcionará descontos de R$ 2 mil a R$ 8 mil no preço final dos carros, além de subsídios de até R$ 99 mil para redução dos preços de ônibus e caminhões.

O governo planeja investir aproximadamente R$ 1,5 bilhão no programa, com R$ 500 milhões alocados para carros, R$ 700 milhões para caminhões e R$ 300 milhões para vans e ônibus. Conforme explicado pelo vice-presidente, o programa será encerrado assim que o total de R$ 1,5 bilhão for alcançado.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, comunicou que o programa sofreu ajustes recentemente. Inicialmente, a proposta envolvia uma redução de impostos para diminuir o preço final dos carros populares em até 10,96%. No entanto, a nova versão do plano substitui a isenção fiscal pela concessão de créditos tributários. O presidente Lula já havia aprovado as propostas para viabilizar o programa, segundo Haddad.

Publicidade

Com duração prevista de quatro meses, o programa tem como objetivo dar um impulso à indústria e incentivar o consumo durante um período de alta da taxa de juros, a Selic, que se encontra em 13,75%. Contudo, o programa tem sido alvo de críticas por estimular o uso de combustíveis fósseis.

Inicialmente, apenas pessoas físicas poderão se beneficiar dos descontos nas vendas de carros durante os primeiros 15 dias. Dependendo da resposta do mercado, esse período pode ser prorrogado por até 60 dias, após o qual empresas também poderão aderir ao programa.

Em um desvio da proposta original, o programa agora dará prioridade a ônibus e caminhões. “O programa foi reformulado e agora está mais voltado para o transporte coletivo e de carga, embora os carros ainda estejam inclusos”, explicou Haddad. Ele também confirmou que, para carros de até R$ 120 mil, os descontos podem chegar a 11,6%, especialmente se os veículos atenderem a critérios sociais, ambientais e de densidade industrial.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado