Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Inauguração laboratório H2CA: avanço no combustível sustentável no RN

Uma nova era na indústria de energias renováveis está prestes a ser inaugurada no Rio Grande do Norte. Esta inovação surge da colaboração entre o Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER) e a Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável. O Laboratório de Hidrogênio e Combustíveis Avançados (H2CA), que promete transformar a produção de combustível sustentável de aviação (SAF) no Brasil, será inaugurado oficialmente na próxima terça-feira (5), marcando uma parceria significativa entre os dois países.

Neste próximo marco significativo para a indústria aeronáutica brasileira, Natal, a capital do Rio Grande do Norte, se tornará o lar da primeira planta piloto no país dedicada à produção de SAF. Localizada no Hub de Inovação e Tecnologia (HIT) do SENAI-RN, a planta representa uma expansão e uma oportunidade para explorar novos horizontes na produção de combustíveis, com o foco principal em reduzir as emissões de gases de efeito estufa no transporte aéreo brasileiro.

A Dra. Fabiola Correia, coordenadora do projeto e pesquisadora doutora em Engenharia de Petróleo do Laboratório de Sustentabilidade do ISI, expressa o significado monumental desta inauguração. “Trata-se de uma planta piloto com maturidade industrial, permitindo uma transição de uma escala experimental para uma escala piloto maior, facilitando o desenvolvimento de testes e novos produtos em condições reais de operação industrial”, afirma.

Publicidade

Ela ainda antecipa que até outubro deste ano, a primeira amostra do combustível deverá ser criada, buscando a certificação da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para posteriormente introduzi-la no mercado.

Produção em Escala Ampliada

Com a inauguração programada para a próxima terça-feira, o laboratório visa aumentar a produção diária de Syncrude, um petróleo sintético, de 200ml para até 5 litros. Este aumento significativo será avaliado através de experimentos práticos e estudos que também determinarão o custo do combustível até o final do ano.

A base para a produção do SAF é a glicerina, um coproduto de alto valor energético da indústria de biodiesel, atualmente subutilizado ou exportado por um preço de mercado baixo no Brasil. A disponibilidade em excesso e o custo reduzido do insumo apresentam uma oportunidade significativa para a redução do custo do novo combustível, conferindo ao mesmo tempo um valor agregado, destaca Fabiola.

Tecnologia Inovadora e Investimento

O processo de produção do SAF começa com a conversão da glicerina em gás de síntese através de uma reação química, produzindo uma mistura de hidrogênio renovável (H2V) e monóxido de carbono (CO), ingredientes essenciais para a criação do combustível líquido. Este gás é então canalizado para um “reator de Fischer-Tropsch”, uma tecnologia que permite a criação de combustíveis de várias matérias-primas, culminando na produção do Querosene Sustentável de Aviação.

Este projeto ambicioso, denominado H2Brasil, é parte de uma cooperação maior entre Brasil e Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, com um investimento de mais de 712 mil euros (aproximadamente 4 milhões de reais) para facilitar a produção de QAV sintético. Este acordo, firmado em 2022, não apenas visa impulsionar a produção e aplicação de combustíveis de aviação sustentáveis no Brasil, mas também engaja-se em estudos detalhados para avaliar os parâmetros operacionais na criação de Querosene Sintético.

O laboratório recém-inaugurado também funcionará como uma unidade de testes para a indústria de aviação brasileira, promovendo um produto que, segundo as instituições colaboradoras, será certificado pela ANP, com processos sendo refinados continuamente para atender às necessidades industriais crescentes.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado