Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Empresas preferem aprendizes mais velhos e com maior escolaridade

Aprendiz em Fortaleza
Imagem:Reprodução

A imagem do aprendiz está mudando no Brasil: cada vez mais, as empresas estão preferindo mais velhos e com maior escolaridade. Em dez anos, o número de aprendizes menores de 18 anos contratados pelas empresas diminuiu de 65% em dezembro de 2010 para 33,5% em dezembro de 2020, segundo levantamento da Kairós Desenvolvimento Social a partir da Relação Anual de Informações Sociais (Rais). 

No mesmo período, o número de aprendizes com ensino médio incompleto caiu de 66% para 43,8% e sem ensino médio, de 14,3% para 13,1%. “São os jovens que constituem o maior índice de desempregados do país, onde 31% das pessoas com idade entre 18 e 24 anos não estão trabalhando”, apontou a CEO do instituto Proa, ONG que prepara jovens em vulnerabilidade social para o mercado de trabalho, em entrevista ao LinkedIn Notícias. 

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado