Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Senacon suspende venda de pacotes flexíveis pelo Hurb

 

A Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) do Ministério da Justiça emitiu uma determinação para que o Hurb (antigo Hotel Urbano) suspenda a venda de pacotes flexíveis, que não possuem data marcada para a viagem nem a definição da empresa aérea ou dos locais de acomodação. A proibição não tem prazo determinado.

A empresa ainda pode negociar pacotes com datas definidas. No entanto, o Hurb afirmou não ter sido notificado pela secretaria e, por questões legais, não comentará o processo. Em comunicado, a empresa afirmou estar à disposição das autoridades para prestar quaisquer esclarecimentos.

conteúdo patrocinado

A suspensão permanecerá em vigor até que o Hurb apresente um plano concreto para a resolução dos contratos em vigor e comprove que as falhas identificadas foram corrigidas, de acordo com o secretário nacional do consumidor, Wadih Damous. Ele ressaltou que o Hurb deverá demonstrar que está cumprindo os contratos e tem condições financeiras para celebrar novos contratos.

O Hurb teve uma reunião com a Senacon no dia 12 de maio, comprometendo-se a adotar medidas para garantir o respeito ao consumidor e a transparência nos produtos oferecidos. Essas medidas seriam detalhadas em um plano entregue pela empresa à secretaria no dia 22 de maio.

No entanto, segundo o secretário, o documento não trouxe informações suficientes e consistentes. Para evitar mais prejuízos aos consumidores em todo o país, a medida cautelar foi emitida para impedir que o Hurb continue comercializando pacotes.

A crise no Hurb começou com relatos de falta de pagamento a hotéis e pousadas, levando ao cancelamento de reservas e afetando milhares de pessoas. No final de abril, a Senacon notificou a empresa, solicitando explicações sobre sua situação financeira e a previsão de cumprimento dos contratos dos pacotes. O Hurb enviou sua resposta nesta semana, que está sendo analisada pela área técnica do órgão sob sigilo comercial.

Além disso, a empresa está enfrentando um processo administrativo aberto pela Senacon por desrespeito aos direitos dos consumidores que compraram pacotes através da plataforma. No primeiro trimestre de 2023, foram registradas 11 mil reclamações contra a empresa, chegando próximo ao total de 12 mil reclamações em todo o ano de 2022.

A crise no Hurb também foi agravada pela renúncia do então CEO, João Ricardo Mendes, após ameaçar e insultar clientes nas redes sociais. Os clientes que compraram pacotes de viagem estão buscando reembolso ou a confirmação de suas reservas. Grupos de consumidores afetados pela crise na empresa se reuniram nas redes sociais, contando com milhares de participantes.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado