Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Fed anuncia pausa no aumento dos juros nos EUA

(Foto: Markus Winkler/Pexels)

Após uma série de dez aumentos consecutivos, o Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos, anunciou uma pausa no ciclo de alta dos juros e manteve a taxa na faixa de 5% a 5,25% ao ano. No entanto, a instituição indicou que as taxas podem chegar à faixa de 5,5% a 5,75% em 2023, o que implica possíveis novos aumentos.

O anúncio já era esperado, especialmente após o resultado da inflação divulgado na terça-feira (13), que teve um aumento de 0,1% em maio, atribuído à queda nos preços de alimentos e combustíveis. No acumulado dos últimos 12 meses, o índice de preços ao consumidor registrou alta de 4%. No mesmo período do ano anterior, a inflação anual era mais que o dobro desse percentual, alcançando 8,6% (com o pico atingido em junho, com 9,1%).

Entretanto, o Fed ainda considera esse índice “muito elevado” e mantém a meta de 2%, que os Estados Unidos ultrapassaram em março de 2021.

Publicidade

O comunicado do Fed que anunciou a decisão, tomada por unanimidade pelos membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), declarou: “Para determinar a extensão adequada do endurecimento adicional para trazer a inflação de volta a 2% ao longo do tempo, o Comitê levará em consideração o aperto cumulativo da política monetária, o tempo necessário para que a política monetária afete a atividade econômica e a inflação, além dos desenvolvimentos financeiros.”

Os juros nos Estados Unidos atingiram o nível mais alto em 16 anos, com um aumento rápido e significativo de cinco pontos percentuais em 15 meses, o maior desde a década de 1980. O objetivo é desaquecer a economia e combater os efeitos da inflação persistente causada por fatores como a pandemia de Covid-19 e a crise na Ucrânia. Apesar do otimismo com a recente queda nos preços dos alimentos e do petróleo, autoridades americanas ainda expressam preocupação em relação ao chamado “núcleo da inflação”, que exclui esses indicadores mais voláteis.

A nota divulgada pelo Fed ressaltou: “Indicadores recentes sugerem que a atividade econômica continua crescendo em um ritmo modesto. Houve ganhos robustos no emprego nos últimos meses e a taxa de desemprego permaneceu baixa. A inflação continua alta. Condições de crédito mais restritas para famílias e empresas podem afetar a atividade econômica, a contratação de pessoal e a inflação. A extensão desses efeitos permanece incerta. O Comitê está vigilante em relação aos riscos da inflação.”

O presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou que os membros do banco central permanecem “comprometidos em trazer a inflação de volta para nossa meta de 2%” e que “ainda sentirão os efeitos completos das medidas de aperto adotadas nos últimos meses”.

Além disso, o Fed elevou as projeções medianas para as taxas de juros nos próximos anos. Em 2024, a projeção foi revisada para 4,6%, ante uma projeção anterior de 4,3%. Já para o ano seguinte, a projeção subiu de 3,1% para 3,4%.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado