Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Reunião sobre o clima de Paris encerra com pressão por nova ordem financeira mundial para combater o aquecimento global

Foto: Ricardo Stuckert/PR

Líderes de mais de 100 países estavam reunidos na reunião sobre o clima de Paris para debater a crise climática que assola o planeta. Durante a reunião, eles buscaram desbloquear bilhões de dólares em investimentos públicos e privados, fundamentais para impulsionar a transição energética e apoiar a adaptação dos países mais vulneráveis às mudanças climáticas. A conferência contou com a participação de quase 40 chefes de Estado e de Governo, incluindo o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, além de representantes da sociedade civil e executivos de bancos regionais de desenvolvimento.

Uma das principais pautas discutidas é a necessidade de modernizar o papel das instituições multilaterais, como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI), para que estejam totalmente alinhadas com as demandas de combate à mudança climática, redução da pobreza, desenvolvimento humano e preservação da biodiversidade.

No entanto, países mais vulneráveis expressam preocupações e desconfiança quanto à capacidade dessas instituições em atender plenamente suas necessidades. O grupo V20, composto por 58 países, busca uma reforma na arquitetura financeira global que permita a participação efetiva das nações em desenvolvimento na busca por soluções para a crise climática.

Publicidade

Dentre as possíveis medidas em discussão, estão o alívio da dívida, ampliação da capacidade de empréstimo dos organismos financeiros multilaterais, mobilização do setor privado e a implementação de um novo sistema tributário.

Além das negociações em torno dessas questões cruciais, a reunião em Paris também proporcionou diversos encontros bilaterais entre líderes globais. O presidente Lula, por exemplo, se reuniu com os presidentes da África do Sul e de Cuba, Cyril Ramaphosa e Miguel Díaz-Canel, respectivamente, além do primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, e do presidente da próxima cúpula do clima da ONU (COP28), Sultan al Jaber, dos Emirados Árabes Unidos.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado