Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Desenvolvedores brasileiros participam da Gamescom

São Paulo - Arena do evento de tecnologia Campus Party - #CPBR13 -, no Complexo do Anhembi.
(Foto: Divulgação/Agência Brasil)

Uma delegação composta por 60 desenvolvedores brasileiros está presente na Gamescom, um evento de grande importância para os jogos eletrônicos, realizado em Colônia, na Alemanha. Essa iniciativa de internacionalização do setor é fruto de uma colaboração entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (ApexBrasil) e a Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Games (Abragames), com a participação do Ministério da Cultura (Minc).

O evento teve início na quarta-feira (23) e seguirá até o próximo domingo (27). Entre as empresas de jogos presentes na Alemanha, destaca-se a Aoca Game Lab. Fundado em 2016, em Salvador, o estúdio traz em sua bagagem o jogo “Árida” como principal produto. A trama do jogo gira em torno da personagem Cícera, uma jovem de 13 anos que vive no sertão brasileiro no final do século 19, e parte em busca do povoado de Canudos. Filipe Pereira, CEO do estúdio, ressalta a importância do evento histórico para a construção da identidade do país e como esse aspecto é incorporado ao universo ficcional do jogo.

Inicialmente lançado em 2019 para computadores, “Árida” conquistou o público e, consequentemente, ganhou uma versão para dispositivos móveis, além de tradução para 12 idiomas, incluindo o português e o inglês. Pereira expressa sua busca por ampliar as oportunidades de comercialização da aventura histórica e viabilizar a continuação da série com parcerias. Ele afirma que o objetivo é “obter novas lojas, novos canais de distribuição para o jogo. Mas também, buscar parceiros para o Árida 2”.

Publicidade

Segundo informações do Ministério da Cultura, a receita proveniente do mercado de games no Brasil ultrapassa US$ 2,3 bilhões anualmente. Das empresas atuantes nesse setor no país, 25% possuem origem internacional.

Um fato relevante é que, desde 2014, o número de estúdios nacionais dedicados ao desenvolvimento de jogos eletrônicos cresceu de 200 para mais de mil, indicando o potencial e a expansão do segmento no Brasil.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado