Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Leilão no Paraná garante R$ 17 bilhões para investimentos em rodovias estaduais

B3 logo
Imagem: Reprodução/Internet

O governo do Paraná alcançou um grande feito em um leilão realizado na B3, em São Paulo, na tarde desta sexta-feira (29), ao garantir mais de R$ 17 bilhões em investimentos para melhorias nas rodovias do estado. O vencedor do segundo lote de estradas concedidas deste ano foi o Consórcio Infraestrutura PR, composto pelas empresas EPR e Perfin, que conquistou o projeto em um lance único com um deságio praticamente mínimo de 0,08% no preço de pedágio proposto.

Baixa concorrência

O que chamou a atenção no leilão foi a ausência de grandes players do setor de infraestrutura, como as tradicionais CCR e Ecorodovias. A baixa concorrência não passou despercebida pelo governo, que acredita que poderá atrair essas empresas nos próximos certames.

O ministro do Transporte, Renan Filho, demonstrou otimismo em relação à participação das concessionárias em leilões futuros. Nesse sentido, ele citou os da BR-381 e BR-040, previstos para novembro e dezembro. Ele afirmou que estão em discussão com o TCU para repactuar os contratos de concessão. O objetivo é atrair as concessionárias de volta para os leilões.

Publicidade

A ausência das empresas tradicionais abriu espaço para os fundos de investimentos, que se destacaram nos leilões no Paraná. No primeiro lote, um consórcio entre o Pátria Investimentos e o Fundo Soberano da Arábia Saudita venceu com um deságio de 18,25%. Além disso, se destaca o compromisso de investir R$ 7,9 bilhões em obras nos próximos 30 anos.

As estratégias em jogo

Para José Carlos Cassaniga, diretor-presidente do Grupo EPR, a escolha pelos fundos de investimento se deve à estratégia de fomentar o ativo e sair antes do fim da concessão. Além disso, as gestoras têm mais fôlego financeiro em comparação com as concessionárias neste momento, o que favorece a participação delas em novos contratos.

A especialista em infraestrutura, Aline Klein, destaca que algumas empresas estão negociando a repactuação de seus contratos com o governo federal. Segundo ela, há desequilíbrios de demanda causados pela pandemia, o que reduz a disponibilidade de recursos imediatos.

O segundo lote leiloado nesta sexta-feira prevê R$ 10,8 bilhões em obras de melhoria em 605 quilômetros de rodovias estaduais, enquanto outros R$ 6,5 bilhões serão destinados a custos operacionais pelos próximos trinta anos. O projeto é de grande importância, pois conecta a região metropolitana do Paraná à capital e ao Porto de Paranaguá, sendo fundamental para o agronegócio.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado