Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Sexta-feira com petróleo em queda

Os preços do petróleo tiveram uma queda no início das negociações desta sexta-feira, refletindo uma pausa na recente alta devido à realização de lucros e expectativas de aumento no suprimento por parte da Rússia e Arábia Saudita.
Foto: Pixbay

Os preços do petróleo tiveram uma queda no início das negociações desta sexta-feira(29) Sendo assim, refletindo uma pausa na recente alta devido à realização de lucros. E, também, expectativas de aumento no suprimento por parte da Rússia e Arábia Saudita.

Os contratos futuros de petróleo Brent para novembro caíram 21 centavos, atingindo US$ 95,17 por barril. Os futuros de dezembro do Brent perderam 10 centavos, sendo negociados a US$ 93,00 por barril às 00h55 (GMT). O petróleo bruto do Texas (WTI) caiu 8 centavos, atingindo US$ 91,63 por barril.

Na quinta-feira (28), os preços do petróleo recuaram cerca de 1%. Logo depois os traders realizaram lucros após as cotações atingirem máximas de 10 meses. Além disso, algumas preocupações surgiram devido às taxas de juros elevadas, que podem afetar a demanda por petróleo.

Publicidade

Reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo

O Banco Nacional da Austrália observou em uma nota que a recente pausa na alta dos preços do petróleo foi uma tendência. Eles também destacaram que a reunião da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) na próxima semana será crucial para o mercado. Enquanto que surge a probabilidade de que os cortes voluntários no suprimento feitos pela Aramco sejam reduzidos.

Atualmente, o mercado de petróleo está ajustado devido aos cortes combinados de 1,3 milhão de barris por dia até o final do ano pela Arábia Saudita e Rússia. A Rússia recentemente amenizou sua proibição separada de exportações de combustível introduzida para estabilizar o mercado interno. Simultaneamente, os analistas não esperam que as restrições permaneçam por muito tempo.

De acordo com o JPMorgan, Turquia, Brasil, Marrocos, Tunísia e Arábia Saudita foram alguns dos principais destinos do diesel russo este ano. Uma proibição prolongada de exportações pode impactar negativamente o relacionamento com os novos clientes que as empresas de petróleo russas construíram cuidadosamente ao longo do último ano e meio.

A Rússia não discutiu um possível aumento no fornecimento de petróleo bruto para compensar a proibição de exportações de combustíveis de Moscou com a OPEC+, disse o Kremlin. Dados macroeconômicos recentes, juntamente com o feriado de uma semana na China, chamado Golden Week, que começa nessa sexta-feira (29), são favoráveis para a demanda global por petróleo.

Os dados mostraram que a economia dos EUA manteve um ritmo sólido de crescimento no segundo trimestre, e a atividade parece ter se acelerado neste trimestre. Além disso, a atividade fabril na China provavelmente se estabilizou em setembro, segundo uma pesquisa da Reuters, acrescentando-se a uma série de indicadores que sugerem que a segunda maior economia do mundo começou a se estabilizar. Dados oficiais serão divulgados no sábado.

O ANZ Research observou em uma nota que “o aumento nas viagens internacionais durante o feriado Golden Week está impulsionando a demanda chinesa por petróleo”.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado