Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Indústria solar da Europa adverte contra tarifas de importação

A Comissão Europeia lançou este mês uma investigação que poderia levar a tarifas para proteger os produtores da UE contra importações mais baratas de veículos elétricos chineses.
Foto: Reprodução/Internet

A indústria solar europeia está alertando as autoridades para não imporem tarifas de importação, temendo que interromper o suprimento de produtos da China prejudique seriamente a capacidade da Europa de instalar rapidamente energia limpa.

O apelo surge quando Bruxelas e os governos europeus consideram ações mais rígidas sobre as importações, à medida que buscam expandir a fabricação de tecnologia limpa na Europa e reduzir a dependência da China para produtos necessários para a transição verde.

A Comissão Europeia lançou este mês uma investigação que poderia levar a tarifas para proteger os produtores da UE contra importações mais baratas de veículos elétricos chineses. Enquanto isso, a Alemanha está examinando opções, incluindo proteções comerciais, para proteger os fabricantes locais de painéis solares de preços globais em queda.

Publicidade

Pressão da precificação chinesa

Gunter Erfurt, Diretor da SolarPower Europe, cujos membros incluem produtores, grandes compradores e empresas envolvidas na instalação, afirmou: “As tarifas não são uma boa resposta para os desafios atuais na indústria solar europeia. Em vez de sancionar toda a indústria por meio de tarifas, devemos incentivar instalações solares que se originam da produção solar europeia resiliente. Dessa forma, a implantação de energia solar pode continuar sem interrupções, enquanto a fabricação solar europeia pode crescer constantemente.”

A SolarPower Europe afirmou que barreiras comerciais na energia solar seriam uma “estratégia de perda”. Além disso, recomendou o estimulo ao crescimento dos fabricantes locais. Inclusive tornando mais fácil o apoio às fábricas locais sob as regras de auxílio estatal da UE.

A UE obtém mais de 90% de seus lingotes e pastilhas para painéis solares da China, segundo a Comissão Europeia. Fabricantes europeus reclamam da entrada massiva de painéis solares chineses a preços abaixo dos custos, forçando cortes nos preços locais.

A indústria teme que limitar suprimentos chineses repita a queda temporária nas instalações solares europeias de 2013 a 2018, devido a restrições da UE. Ou seja, uma repetição do período de 2013 a 2018, quando as instalações de energia solar na Europa caíram temporariamente. A UE registrou um recorde de 40 gigawatts de capacidade de energia solar no ano passado.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado