Amazon e Microsoft sob investigação no Reino Unido

O regulador de mídia do Reino Unido, Ofcom, pediu nesta quinta-feira (5) que a autoridade antitruste do país investigue as gigantes de tecnologia dos EUA, ou seja, a atuação da Amazon e Microsoft no mercado de nuvem do Reino Unido. Ofcom afirmou ter identificado características que dificultam para as empresas britânicas o uso de vários fornecedores de nuvem.

Em 2022, Amazon e Microsoft detinham uma fatia combinada de 70-80% do mercado de serviços de infraestrutura de nuvem pública do Reino Unido. O Google era o concorrente mais próximo, com 5-10%.

O Reino Unido não é o único país investigando a computação em nuvem. A Comissão Federal de Comércio dos EUA solicitou informações sobre o mercado em março, citando interesse semelhante no Reino Unido, França, Japão, Holanda e Coreia do Sul.

“A CMA (Autoridade de Concorrência e Mercados) conduzirá agora uma investigação independente para decidir se há um efeito adverso na concorrência e, em caso afirmativo, se devem ser tomadas medidas ou se deve ser recomendado que outros tomem”, afirmou a Ofcom.

Posicionamento das envolvidas:

A Amazon discordou da Ofcom. Segundo seu posicionamento, as descobertas se basearam em “um equívoco fundamental sobre como funciona o setor de TI e os serviços e descontos oferecidos”. Além disso, alegaram que “qualquer intervenção injustificada poderia causar prejuízos não intencionais aos clientes de TI e à concorrência”, disse um porta-voz.

No entanto, a empresa afirmou que trabalhará de forma construtiva com a CMA. A Microsoft, por sua vez, afirmou estar comprometida em garantir que a indústria de nuvem do Reino Unido permaneça inovadora e altamente competitiva. “Nós nos envolveremos de forma construtiva com a CMA”, disse um porta-voz da Microsoft.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado