Preço do café: alta expressiva para produtor e consumidor

Preço do café: alta expressiva para produtor e consumidor
(Foto: Lukas/Pexels).

O preço do café que a indústria paga ao produtor teve um salto de 107% nos últimos três anos. Enquanto isso, para o consumidor final, o aumento foi de 73% no mesmo período. Esses números, divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), refletem as dificuldades enfrentadas pelo setor.

Desafios na produção

As condições climáticas adversas, incluindo chuvas irregulares e períodos de seca intensa, afetaram diretamente a qualidade e a produtividade do café. Isso obrigou os produtores a repassarem os custos adicionais para a indústria, que por sua vez, teve que ajustar os preços ao consumidor final.

O diretor-executivo da Abic, Celírio Inácio, aponta que a volatilidade dos preços é consequência das complexas negociações entre indústria e produtores. Apesar do aumento no consumo interno de café, a relação de oferta e demanda permanece tensa.

Consumo e preços no varejo

O consumo de café no Brasil apresentou um crescimento modesto de 1,64% entre novembro de 2022 e outubro de 2023. Esse aumento é atribuído ao consumo de cafés torrado e moído e solúvel. No entanto, a queda de 13,5% no preço do café torrado e moído no varejo em 2023 mostra a complexidade do mercado.

As regiões Sudeste e Nordeste lideram o consumo de café no país, refletindo a importância cultural e econômica da bebida. A indústria de café, por sua vez, enfrentou uma redução de 2,78% em seu faturamento no mesmo período, apesar do aumento no consumo.

Futuro do mercado de café

Fatores como a estiagem causada pelo fenômeno El Niño preocupam os produtores de café, que já relatam perdas. Ainda assim, as projeções de consumo para 2024 se mantêm estáveis, com um crescimento esperado entre 1% e 2%.

A relação entre produtores e indústria segue sendo um ponto de equilíbrio delicado. A busca por um preço justo, que contemple as adversidades enfrentadas pelos produtores sem onerar excessivamente o consumidor, é uma constante no setor.

Em resumo, o mercado de café no Brasil atravessa um período de ajustes e desafios. A oscilação nos preços, tanto para o produtor quanto para o consumidor, reflete a complexidade de fatores que influenciam a cafeicultura. Em outras palavras, o futuro do setor dependerá da capacidade de adaptação e negociação entre as partes envolvidas.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado