Dólar sobe para R$ 4,96 após dados do mercado de trabalho dos EUA

Dolar
Foto: Alexander Mils/Unsplash

A recuperação do mercado de trabalho nos Estados Unidos causou agitação no mercado financeiro global. O dólar fechou em alta, atingindo o segundo maior valor do ano. Entretanto, a bolsa de valores registrou uma queda de mais de 1%, atingindo o menor nível em 11 dias.

O dólar comercial encerrou o dia a R$ 4,968, com um aumento de R$ 0,053 (+1,08%). Embora tenha começado o dia em baixa, a cotação disparou a partir das 10h30, após a divulgação dos dados que revelaram a criação de 353 mil vagas de trabalho nos Estados Unidos em janeiro. O valor é o mais alto desde 22 de janeiro, quando atingiu R$ 4,98. No acumulado de 2023, a moeda estrangeira teve um aumento de 2,37%.

No mercado de ações, o dia também foi marcado por tensões. O índice Ibovespa da B3 fechou em 127.182 pontos, com uma queda de 1,01%. É o menor patamar desde 22 de janeiro, e o indicador acumula uma queda de 1,38% na semana. As ações de petroleiras, mineradoras e varejistas foram as principais responsáveis pela queda.

A performance positiva do mercado de trabalho nos Estados Unidos gerou preocupações entre os investidores globais, uma vez que adia a expectativa de uma redução das taxas de juros nos EUA. Recentemente, o Federal Reserve (Fed), o Banco Central americano, manteve as taxas de juros básicas entre 5,25% e 5,5% ao ano. No entanto, o comunicado do órgão indicou que qualquer redução só ocorrerá em maio.

O alto nível das taxas de juros nas economias avançadas tende a atrair capitais de países emergentes, como o Brasil. A expectativa de que o Fed adie a redução das taxas de juros pressionou o dólar e a bolsa de valores nas economias em desenvolvimento.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado