Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

“Um defeito de cor” torna-se best-seller na Amazon após carnaval

livro Um defeito de cor
Escritora Ana Maria Gonçalves, autora do livro, desfilou na Portela (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil).

No coração do carnaval 2024, a escola de samba Portela trouxe para a Sapucaí um samba-enredo inspirado em “Um defeito de cor”, um livro de Ana Maria Gonçalves que retrata a luta e resistência de Kehinde, personagem central da obra. A performance não só capturou a atenção do público mas também teve um efeito direto nas vendas do livro, que experimentou um salto, conquistando as duas primeiras colocações no ranking de mais vendidos da Amazon no Brasil. Este aumento, quantificado em 69,24% em um período de 24 horas, destacou a influência do carnaval no interesse literário dos brasileiros.

Efeito cultural e editorial do desfile da portela

A repercussão do desfile foi além do esperado, impactando profundamente o mercado editorial. A Editora Record, responsável pela publicação de “Um defeito de cor”, rapidamente se mobilizou para atender à demanda crescente. Isso indica a possibilidade de novas tiragens para suprir o interesse renovado pela obra. Esta situação sublinha a capacidade do carnaval de entreter e, ao mesmo tempo, fomentar um diálogo cultural e histórico. Ele estimula a leitura e a educação sobre a história brasileira.

conteúdo patrocinado

A profundidade histórica de “um defeito de cor”

O romance, com suas 952 páginas, narra a dolorosa jornada de Kehinde, desde sua infância traficada da África para o Brasil, até se tornar uma figura emblemática na luta contra a escravidão. A obra é uma exploração profunda das raízes africanas no Brasil e dos impactos duradouros da escravidão na sociedade brasileira. O desfile da Portela, ao trazer essa história para o grande público, celebrou a resistência e a luta por justiça. Além disso, amplificou a importância de conhecer e reconhecer as histórias não contadas do Brasil.

Reconhecimento e impacto amplificado

A apresentação da Portela na Marquês de Sapucaí rendeu não apenas aplausos mas também premiações, destacando-se como uma das favoritas ao título de melhor escola do Grupo Especial. A inclusão de figuras como Lázaro Ramos no papel de Luiz Gama, além da participação do ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida, reforçou a mensagem de resistência e esperança transmitida pelo enredo. Este reconhecimento, portanto, é um testemunho do poder do carnaval como um veículo para a educação e a conscientização social.

Um marco na literatura e no carnaval

A fusão entre o carnaval e a literatura é ilustrada pela escolha de “Um defeito de cor” como tema do samba-enredo da Portela. Essa escolha prova ser uma estratégia poderosa para engajar o público em discussões culturais e históricas. Além de estimular um pico nas vendas, o evento trouxe luz a importantes questões raciais e históricas. Isso demonstra que o carnaval vai além da festa. É uma plataforma para educação, celebração da cultura e reflexão sobre a sociedade.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado