Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Pilotos protestam e companhia aérea indiana reduz voos

Foto: Divulgação Boeing.

A Vistara Air Lines, uma das líderes no setor aéreo da Índia, está passando por um momento desafiador devido a problemas operacionais que levaram à redução de suas atividades este mês. No centro dessa crise está a ação de protesto de seus pilotos, que escolheram solicitar licença médica coletivamente como forma de responder às condições de trabalho pós-fusão com a Air India. Essa ação resultou em quase 150 voos cancelados e mais de 200 atrasos desde 31 de março.

Os pilotos têm manifestado insatisfação com a nova estrutura de salários e as condições de trabalho derivadas da fusão, denunciando escalas aleatórias e expressando preocupações sobre segurança e saúde devido à carga de trabalho intensiva. Em resposta, a Vistara tem buscado formas de reequilibrar, comprometendo-se a ajustar as escalas de trabalho para melhorar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional dos pilotos.

A administração da Vistara, liderada pelo CEO Vinod Kannan, tem sido proativa em abordar a situação. Em uma reunião recente, Kannan reconheceu os desafios dos pilotos, citando “horários sobrecarregados” e solicitando seu apoio para superar o período. A companhia aérea prometeu reembolsos aos clientes afetados e anunciou a extensão dos cancelamentos de voos até o final do mês, buscando aliviar a carga sobre os pilotos.

conteúdo patrocinado

Além do protesto dos pilotos, a Vistara apontou outros fatores que contribuíram para os atrasos em março, incluindo ataques de pássaros, manutenção programada, condições climáticas adversas e congestionamento. Essa complexidade de desafios destaca a dificuldade da gestão em manter a operação fluindo suavemente.

Esse período turbulento acontece enquanto a Vistara, uma joint venture entre o Tata Group e a Singapore Airlines, está em processo de consolidação após a aquisição da Air India pelo Tata Group por US$ 2,2 bilhões em 2021. Com um investimento adicional de US$ 250 milhões por uma participação de 25,1% na entidade combinada, a Vistara busca solidificar sua posição no mercado aéreo, apesar dos atuais desafios operacionais e de pessoal.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado