Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

CCR traça novos negócios e foca na geração de receita

Novos negócios da CCR (Imagem: Divulgação/CCR)
Novos negócios da CCR (Imagem: Divulgação/CCR)

A concessionária CCR está diversificando suas fontes de receita ao investir em negócios integrados ou adjacentes aos ativos sob sua gestão. Com um capex total de R$ 8 bilhões projetado para 2024, a empresa planeja projetos de energia, desenvolvimento imobiliário ao redor de aeroportos e rodovias, e centros de compras anexos às estações de trens e metrôs.

Iniciativas imobiliárias e de varejo

Miguel Setas, novo CEO da CCR, afirmou que a empresa identificou um potencial subaproveitado em seus ativos. “Passamos a ter um olhar mais estratégico para essa frente, que já gera mais de R$ 1 bilhão em receitas”, disse Setas.

Um exemplo é o Mall Vila Sônia, anexo à estação de mesmo nome na linha 4 do metrô de São Paulo, com inauguração prevista para o segundo semestre. Com 2,5 mil metros quadrados de área bruta locável (ABL), 50% já contratados, o centro de compras contará com 45 lojas, 24 quiosques e uma praça de alimentação.

conteúdo patrocinado

Outra iniciativa similar está prevista para Salvador, onde três estações de metrô abrigarão um mall com 2,3 mil metros quadrados de ABL, das quais 41 lojas já foram locadas para marcas como Trifil, Subway e Farmácia Pro Saúde.

Novos negócios da CCR: desempenho financeiro e dividendos

A CCR encerrou 2023 com uma receita total de R$ 14,9 bilhões. No primeiro trimestre de 2024, a empresa reportou um lucro ajustado de R$ 449 milhões, um aumento de 41,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida ajustada foi de R$ 3,47 bilhões, um crescimento de 7,7%.

Nesse sentido, a CCR pode distribuir cerca de R$ 1 bilhão em dividendos aos acionistas em 2024, baseando-se na expectativa média de crescimento do lucro por ação de 27% acima de 2023. Em 2023, a CCR pagou R$ 850 milhões em dividendos.

Leia também:

Santander eleva preço-alvo da CCR: boas perspectivas para 2024

Desafios e prejuízos

Apesar dos resultados positivos e anúncio de novos negócios, a CCR MSVia, concessionária da BR-163, reportou um prejuízo de R$ 97 milhões no primeiro trimestre de 2024, 62% maior que o verificado no mesmo período de 2023. A receita de pedágio foi de R$ 42,2 milhões, uma ligeira variação negativa de 0,2% em relação ao ano anterior.

Foco em energia Renovável

A CCR investiu em 11 usinas solares e duplicou sua capacidade instalada em 2023. A meta é ter 100% do consumo de suas concessões abastecido por fontes renováveis até 2024. Essas iniciativas devem reduzir os gastos com energia em 20% nos próximos três anos e potencialmente gerar excedentes para venda no sistema.

Outras estratégias de negócio

Além das iniciativas imobiliárias e energéticas, a CCR planeja explorar a publicidade nas rodovias e a infraestrutura de fibra óptica. Em março, a empresa anunciou a venda da Samm para a Megatelecom por R$ 100 milhões, indicando uma estratégia de alocação de capital mais eficiente.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado