Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Por que o yuan está sob pressão para desvalorizar?

Operadores preveem queda na moeda chinesa

Por que o yuan está sob pressão para desvalorizar?
(Foto: Bernd Dittrich/Unsplash).

O mercado financeiro está pressionando o Banco do Povo da China (PBoC) a permitir que o yuan se desvalorize. A expectativa se baseia na disparidade das taxas de crédito entre a China e os Estados Unidos, que pode incentivar os investidores a venderem a moeda chinesa.

Durante este ano, o PBoC manteve uma política de fortalecimento do yuan, estabilizando a taxa de referência diária entre 7,09 e 7,11 yuans por dólar. No entanto, recentemente a moeda foi negociada 2% abaixo dessa faixa, o limite máximo permitido pelo banco, indicando uma crescente pressão vendedora.

Diferença nas taxas de retorno

A necessidade de um yuan mais fraco é destacada pela diferença entre os retornos dos títulos. Enquanto os Treasuries de dez anos dos EUA rendem 4,57%, os títulos similares chineses oferecem apenas 2,3%, o que atrai capital para mercados com taxas mais altas.

Publicidade

Precedentes e expectativas

Operadores preveem uma possível desvalorização pontual do yuan, semelhante ao ajuste de 2015. Naquele ano, uma desvalorização inesperada resultou em turbulência nos mercados, com intensa venda da moeda por gestores internacionais e fugas de capital, levando a uma queda nas reservas em moeda estrangeira da China.

 

Preferência por estabilidade

O PBoC, entretanto, tem mostrado relutância em permitir alterações rápidas na taxa de câmbio, priorizando a estabilidade. No início do ano, o presidente Xi Jinping reforçou a importância de manter uma “moeda forte”, visando consolidar a posição da China como uma potência financeira. Uma desvalorização abrupta do yuan poderia impactar o comércio global e acentuar tensões com os EUA, aumentando a competitividade das exportações chinesas.

Mecanismos de controle cambial

Diariamente, as autoridades monetárias chinesas estabelecem uma taxa de paridade central em relação ao dólar, que funciona como uma diretriz de suas políticas cambiais. A taxa de mercado pode variar até 2% acima ou abaixo dessa referência, conhecida como banda. A China emprega uma variedade de ferramentas, formais e informais, para manter a taxa de mercado dentro dessa faixa, incluindo a mobilização de recursos de bancos estatais para defender o yuan.

Estabilidade versus pressões de mercado

Recentemente, a taxa de referência tem se mantido notavelmente estável, mesmo com a taxa de mercado se aproximando do limite inferior da banda. Isso sugere resistência às pressões de desvalorização.

Perspectiva de fortalecimento econômico

Além disso, o banco central chinês destacou melhorias nos dados de importação e exportação este ano, o que poderia fortalecer a recuperação econômica da China e, consequentemente, a posição do yuan. Comparativamente, enquanto o yuan se desvalorizou cerca de 2% em relação ao dólar este ano, o iene japonês e o won sul-coreano caíram, respectivamente, mais de 11% e mais de 5%. Essas quedas, portanto, indicam uma competição acirrada no cenário comercial asiático.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado