Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Hidrogênio Verde é a aposta contra o aquecimento global

Vários projetos começam a despontar no mundo e o Brasil tem capacidade para liderar esse novo mercado
Vários projetos começam a despontar no mundo e o Brasil tem capacidade para liderar esse novo mercado

Na busca por um futuro neutro em gás carbônico, governos e empresas têm voltado suas atenções para o hidrogênio verde, gerado pela eletrólise da água, que separa o hidrogênio do oxigênio por meio de uma corrente elétrica.

O combustível não gera gases poluentes nem durante a combustão nem durante a produção. Segundo o Goldman Sachs, até 2050 o mercado global de hidrogênio ultrapassará US$ 11 trilhões. Além de ser uma fonte limpa, o hidrogênio tem três vezes mais energia do que a gasolina.

O investimento de 34 milhões de Euros na produção de hidrogênio Verde no Brasil anunciado pela agência alemã de cooperação internacional vai ajudar a promover o mercado do hidrogênio Verde no Brasil.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

A iniciativa foi chamada de H2 Brasil e iniciará com a construção de uma planta piloto de eletrólise que terá a capacidade total de 5 MW. Além disso, um dos objetivos do governo alemão é ajudar a criar um Marco do Hidrogênio no Brasil, ajudando outras empresas a se inserirem nesse mercado.

Um dos aspectos mais interessantes a respeito desta parceria é que a Alemanha está auxiliando o Brasil no desenvolvimento desta tecnologia e ainda se tornará um de seus maiores compradores de Hidrogênio Verde.

Vários projetos começam a despontar no mundo e o Brasil tem capacidade para liderar esse novo mercado, já que tem grande potencial eólico e solar.

Recentemente, o governador do Ceará, Camilo Santana, anunciou a assinatura de um protocolo de intenções com um consórcio formado por quatro empresas europeias para a instalação de mais uma planta para produção de Hidrogênio Verde (H2V) no estado.

O volume é equivalente a cerca de 2,5 milhões de toneladas de amônia verde, que serão exportadas do Porto do Pecém, no Ceará, até o Porto de Roterdã, na Holanda. O projeto deverá integrar o Hub de Hidrogênio cearense que está sendo panejado no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), no Ceará.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado