Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Afetados pela pandemia, advogados entram para a informalidade

Plataforma treinou mais de 200  taxistas para prestar socorro a motoristas que precisam de serviços como troca de pneus e recarga de baterias

A pandemia afetou diretamente a vida de muitos advogados no país, que recorreram à informalidade após o empobrecimento. De acordo com pesquisa do Datafolha realizada em 2021 com 303 advogados de todas as regiões do país, dois terços da classe atuam de forma autônoma, sem vínculo formal com escritórios ou empresas.

A pesquisa revela ainda que a renda individual mensal média, segundo o levantamento, é de R$ 5.855, com 44% dos profissionais situados na faixa até R$ 2.500. Representantes da área de assistência social da OAB ouvidos pela Folha afirmam que profissionais recém-formados e veteranos que não se adaptaram ao uso das ferramentas tecnológicas foram os mais afetados.

Dados do último Censo da Educação Superior do Inep-MEC mostram que em 2020 havia 1.507 cursos de direito no país, com cerca de 125 mil formados. Para exercer a advocacia é preciso ser aprovado no exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), aplicado três vezes no ano. Hoje há mais de 1,2 milhão de advogados inscritos no país.

conteúdo patrocinado

Com dificuldades financeiras, o advogado Osmar Quadros, 50 anos, pai de quatro filhos, contou em entrevista ao Yahoo que recorreu aos aplicativos de corrida, trabalho que fazia desde o curso e que se tornou a fonte de renda por três anos, apesar do diploma. Nos grupos de motoristas, ele conta que há vários colegas de profissão e de outras áreas com dificuldades semelhantes. O advogado conta que voltou a ter clientes só no final de 2021 e neste ano deixou as corridas de aplicativo de lado.

Em São Paulo, a solução encontrada pela advogada Fernanda Martins, 36, foi ampliar o rol de catálogos de produtos de beleza para revender para complementar a renda. Especialista em direito penal e atuando também na área cível, ela conta que só em 2018, dez anos após a graduação, conseguiu passar na OAB. “O problema na advocacia é que as pessoas não querem pagar consulta. Quando fecha o contrato, querem pagar só no êxito. Não veem que o advogado tem custo para dar entrada e ir atrás de documentos”, disse ao Yahoo.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado