Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Banco Alfa consolida atuação no mercado de capitais e bate R$ 12,8 bilhões em operações coordenadas

Foto: Wikipedia

O pioneirismo do Alfa com a estruturação de operações inéditas no mercado de capitais, no Brasil, levou a companhia a fechar 2021 com a marca histórica de R$ 12,8 bilhões em transações coordenadas. No período, os setores de agronegócio, energia e saneamento foram os que concentraram as principais operações realizadas pelo banco.

Com esse resultado, o Alfa consolida uma tendência de crescimento que já vinha sendo verificada nos últimos anos. Após implementar uma reestruturação na sua área de Corporate e, nos últimos anos, reforçar suas equipes de Investment Banking, em 2020, o banco alcançou expressivo crescimento do volume e número de operações.

No fechamento do ano passado, a companhia foi destaque no ranking da Associação Brasileira de Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (ANBIMA) de Renda Fixa e Híbridos – Originação, que é referência para o mercado, com um dos maiores crescimentos do mercado, alcançando a 15ª posição em volume de operações.

conteúdo patrocinado
Augusto Martins, diretor de Corporate & Investment Banking do Alfa (Divulgação/Conglomerado Alfa)

Augusto Martins, diretor-executivo de Corporate & Investment Banking do Alfa, explica que, nos últimos dois anos, a companhia tem investido na expansão de suas áreas voltadas para empresas, visando trazer um atendimento ainda mais customizado e aderente às necessidades dos clientes.

“Esse movimento nos permitiu estruturar operações até então inéditas no mercado brasileiro e viabilizar projetos de companhias com atuação em segmentos estratégicos para o País. A nossa estratégia para este ano é expandir ainda mais operações desse tipo”, explica.

Entre as operações de destaque realizadas pelo Alfa, em 2021, está a coordenação da 6ª emissão de debêntures da COPEL Distribuição S.A. no valor de R$ 1,5 bilhão, sendo o maior deal da história da empresa. 

Além disso, a empresa reforçou também seu comprometimento com operações focadas em sustentabilidade ao atuar como coordenador da primeira emissão de debêntures em série única da Allonda, classificadas como sustainability-linked bonds (SLB), no volume de R$ 270 milhões, instrumento de dívida que teve como objetivo final incentivar o emissor a alcançar metas ESG (Ambiental, Social e Governança, na sigla em inglês), culminando com eventual redução da remuneração do ativo.

O Alfa atuou, ainda, como coordenador líder da primeira emissão de notas promissórias comerciais da companhia MCassab Comércio e Indústria Ltda, no volume de R$ 50 milhões; e também dos Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) de cerca de R$ 38 milhões para a empresa Finpec, primeira fintech do setor pecuário do Brasil. Esse foi o primeiro CRA do mercado com lastro 100% em gado.

“Segundo Martins, estas operações, em especial, exemplificam de forma clara a atuação do Alfa. “A nossa estratégia é seguir usando a expertise do Alfa no mercado de capitais para atuar ao lado do cliente, de forma discreta e efetiva, buscando auxiliá-los em todo o processo”, destaca.

Outra operação relevante realizada pelo banco foi a captação de recursos para a primeira emissão de CRA com garantia do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no volume de R$ 24 milhões, em favor da Cotrijal Cooperativa Agropecuária e Industrial.  Nessa operação, o banco contou com a participação da Eco Securitizadora de Direitos Creditórios do Agronegócio S.A. (Ecoagro) e da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul). 

A instituição atuou, também, em conjunto com o Ecoagro na emissão do primeiro CRA garantido pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), no valor de R$ 30 milhões, para custear a comercialização de insumos agrícolas dos associados da Integrada Cooperativa Agroindustrial do Paraná.

Estratégia de crescimento do Alfa

Augusto Martins destaca que os resultados positivos obtidos pela empresa, neste momento, são fruto de uma estratégia de longo prazo implementada pelo Alfa, que teve início no fim de 2020 com a reestruturação e o fortalecimento das equipes de especialistas nas áreas de investment banking e corporate.

“Na área de investment banking, por exemplo, já estamos trabalhando em novas soluções para os clientes em project finance, que consiste em utilizar o DNA em crédito que possuímos para assessorar os clientes na estruturação financeira de projetos de grande porte”, relata o executivo.

Já na área de corporate, complementa Martins, o Alfa passou a contar com equipes dedicadas às empresas considerando seu porte, segmentado da seguinte forma: o corporate aglutina grupos econômicos com faturamento de R$ 100 milhões a R$ 1 bilhão e o large corporate reúne corporações que movimentam acima de R$ 1 bilhão. Segundo ele, essa ação possibilitou ao Alfa ter especialistas mais focados nas necessidades específicas dos clientes. 

“Outro ponto importante – que sem dúvida tem contribuído para este nosso crescimento contínuo – é o fato de termos expandido nossa equipe de atacado e contarmos com forte presença regional. Considerando a extensão territorial do Brasil, isso é muito relevante, pois permite aos nossos especialistas oferecer um atendimento personalizado e alinhado às necessidades dos clientes de cada região”, finaliza.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado