Da simplicidade do campo para um escritório de advocacia ambiental na 5ª avenida de Nova York

Maria Fernanda Messagi, Manoele Krahn, Samanta Pineda e Manoela de Andrade, sócias do Pineda e Krahn em evento oficial da Climate Week em Nova Iorque

Maria Fernanda Messagi, Manoele Krahn, Samanta Pineda e Manoela de Andrade, sócias do Pineda e Krahn em evento oficial da Climate Week em Nova Iorque (Divulgação)

Nascida em Curitiba, no Paraná, Samanta Pineda sempre levou uma vida simples entre a cidade grande e  a zona rural, se tornou especialista em Direito Ambiental há 21 anos e, atualmente, é um dos principais nomes quando o assunto é meio ambiente e sustentabilidade no Brasil, defendendo de forma internacional o agronegócio sustentável.

Pioneira quando o assunto é Direito Ambiental em sua cidade natal, fundou o escritório de advocacia Pineda & Krahn em 2001, que hoje é administrado por ela e por outras quatro sócias, Manoele Krahn, Manoela Moreira de Andrade, Luiza de Araujo Furiatti e Maria Fernanda Messagi. Neste mês, a empresa comemorou seu 21º aniversário e para celebrar a trajetória de sucesso, as advogadas acabam de inaugurar a primeira sede no número 600 da 5ª Avenida de Nova York.

“Para ser bem sincera, é um sonho tudo isso. Quer dizer, uma garota que cresceu numa área rural, batalhou, persistiu e conseguiu esse feito, sem sombra de dúvidas é um sonho”, diz Samanta Pineda, que comemorou a conquista.

O anúncio da nova sede do escritório foi feito após o término do evento da agenda oficial da Climate Week NYC, o maior encontro climático global do gênero, excluídas as Conferências Mundiais do Clima (COP) que são governamentais.

O evento que teve a participação das advogadas demonstrou a evolução da ideia do meio ambiente como direito fundamental das presentes e futuras gerações no Brasil, mostrou o Cadastro Ambiental Rural (CAR), que é uma importante ferramenta de controle ambiental e, por fim, quais são os esforços do país para implementar o Mercado de Descarbonização através de regulamentações.

O começo de tudo

Durante a infância, Samanta teve que começar a trabalhar muito jovem, aos 12 anos. “Eu comecei a trabalhar tão cedo porque era muita falta, né? Nós éramos bem pobres. Minha mãe sustentava nossa casa, eu podia comprar um tênis no ano, uma calça no ano e eu via meus colegas numa situação melhor e eu queria isso”, relembra Samanta Pineda.

Sua história com a sustentabilidade vem desde cedo. Samanta foi criada em Curitiba e cresceu ouvindo sobre meio ambiente. Seus tios também eram produtores rurais, o que fazia com que ela passasse grande parte das suas férias em contato com um local verde.

Se casou jovem, aos 19 anos e seu primeiro marido era um médico. “Quando eu falei para ele que queria fazer Direito, o apoio foi gigante. Nós dois trabalhamos com tudo que apareceu para conseguirmos pagar nosso apartamento e minha faculdade, tudo com muita garra”, conta Samanta.

Pioneirismo do Direito Ambiental

Hoje, a preocupação com o meio ambiente virou uma luta global, no entanto, em 2001, o cenário era um pouco diferente. Segundo Samanta Pineda, quando o assunto era Direito Ambiental, pouco se conhecia fora de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

“Lembro que eu me perguntava ‘quem sou eu para abrir um escritório de Direito Ambiental em Curitiba?’, mas, mesmo assim, eu abri. Comecei fazendo uma coisa e outra para conseguir pagar as despesas, e também preparava palestras. Eu identificava a dor de um setor específico e ia em sindicatos, entregava cartão e fui fazendo isso”, explica a especialista em Direito Ambiental.

Virada de Chave

Segundo a advogada Samanta Pineda, o momento da ‘virada de chave’ de sua carreira aconteceu em 2005, quando ela foi a uma reunião do Sindicato Rural de Ponta Grossa. Eles estavam com dúvidas, pois haviam criado alguns parques em cima das áreas produtivas deles e lembraram da advogada por causa das palestras.

“Fui para a cidade achando que falaria com os produtores rurais, mas quando cheguei na reunião, haviam três deputados na sala. Eu nunca tinha visto um deputado na vida, era 95% de uma sala cheia de homens. Escutei o que precisava e, no final, o político da época me convidou para dar uma palestra em Brasília”, relembra a advogada.

Após a palestra apresentada em Brasília, Samanta foi convidada para ajudar a reescrever a legislação ambiental brasileira – Novo Código Florestal. “Eu não tinha dinheiro para ir para a Brasília, então parcelei em 10x a passagem e fui. Após esse convite, várias associações me contrataram e me pagaram para ir a Brasília fazer esse serviço”, finaliza a advogada.

Atualmente, o escritório Pineda e Krahn é especialista em Negócios Sustentáveis, Questões Fundiárias, Regularização Ambiental, Contratos Agrários, ESG, entre outros. Já atendeu mais de mil casos e foi um dos primeiros escritórios do Paraná a realizar uma audiência virtual de conciliação do Ibama no Estado.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado