Variação do INCC-M e ICST em 2022: análise detalhada

Indústria da construção registra alta na atividade em julho, aponta pesquisa do Observatório da Indústria da FIEC

No ano de 2022, o setor de construção no Brasil passou por diversas alterações econômicas importantes. Uma das mais principais foi a variação do Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre). Em dezembro, o INCC-M registrou um aumento de 0,27%, totalizando um acréscimo de 9,40% de janeiro a dezembro de 2022. Este dado contrasta com o aumento de 0,30% registrado em dezembro de 2021, culminando em um aumento de 14,03% ao longo de 12 meses.

Análise Detalhada dos Componentes do INCC-M

Observando mais de perto, a taxa relativa a materiais, equipamentos e serviços teve uma variação notável, saindo de -0,23% em novembro para 0,38% em dezembro. Em detalhe, os materiais para estrutura e equipamentos para transporte de pessoas subiram respectivamente de -0,98% para 0,62% e de 0,04% para 0,64%. Além disso, a taxa dos serviços aumentou de 0,35% para 0,43% em dezembro, com destaque para a elevação na taxa da refeição pronta no local de trabalho, de 0,35% para 1,35%.

A Dinâmica da Mão de Obra no Setor

Outro aspecto crucial foi a variação do índice referente à mão de obra, que passou de 0,53% em novembro para 0,16% em dezembro, refletindo uma alta acumulada de 11,76% em 12 meses.

Índice de Confiança da Construção (ICST)

Paralelamente, o FGV Ibre também divulgou o Índice de Confiança da Construção (ICST). Em dezembro, este índice apresentou uma variação mínima de -0,3 ponto, fixando-se em 95,3 pontos, o menor nível desde março de 2022. As médias móveis trimestrais revelaram uma queda de 2,1 pontos.

Percepções dos Empresários e Projeções

Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção do FGV Ibre, apontou que a confiança dos empresários ao longo do ano refletiu a retomada do setor, que apresentou crescimento no PIB e na geração de empregos. No entanto, ela destacou que novembro e dezembro mostraram um cenário mais pessimista quanto à evolução da demanda.

Componentes do ICST e Suas Implicações

O Índice de Situação Atual (ISA-CST) registrou um recuo de 0,4 ponto, indo para 96,6 pontos. Este recuo foi influenciado pela queda no volume de carteira de contratos e na situação atual dos negócios. O Índice de Expectativas (IE-CST) se manteve estável, com uma leve queda de 0,1 ponto, para 94,3 pontos.

Nível de Utilização da Capacidade (Nuci) na Construção

O Nuci na construção sofreu uma redução de 0,9 ponto percentual em dezembro, alcançando 78,3%. Este declínio incluiu uma queda de 0,8 ponto percentual em mão de obra e de 2 pontos percentuais em máquinas e equipamentos.

Indicador de Demanda Prevista (DP)

O Indicador de Demanda Prevista (DP) aumentou 0,9 ponto em dezembro, não compensando a forte queda de 7,4 pontos do mês anterior. No setor de edificações residenciais, a DP subiu 4,5 pontos, após uma queda de 10,9 pontos em novembro.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado