Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Geração Z prioriza saúde mental e exige comprometimento dos empregadores

A desoneração está em vigor desde 2011, e foi criada para substituir a base de cálculo da contribuição do empregador à Previdência Social. (Foto: ThisIsEngineering/Pexels)

Apesar das turbulências econômicas e das demissões em massa, a Geração Z não está se afastando do mercado de trabalho. No entanto, eles têm uma prioridade clara: a saúde mental e emocional. Os jovens universitários estão buscando empregadores que compartilhem essa preocupação e ofereçam benefícios relacionados.

De acordo com uma pesquisa recente da TimelyCare, empresa de apoio emocional a estudantes, 92% dos universitários acreditam que os empregadores devem fornecer benefícios de saúde mental, e mais de um terço está colocando essas empresas em destaque durante sua busca por emprego.

Prevê-se que a Geração Z represente 27% da força de trabalho até 2025, e os executivos que desejam atrair os melhores talentos podem se beneficiar ao considerar os benefícios de saúde mental que podem oferecer e seu compromisso em garantir que os funcionários possam utilizá-los.

conteúdo patrocinado

Assim como o “greenwashing” (marketing ambiental enganoso), em que as empresas tentam criar uma boa imagem com suas práticas ecologicamente corretas, mas não mudam seus comportamentos reais em relação ao meio ambiente, o “wellwashing” (fingir se preocupar com o bem-estar) também pode ser prejudicial.

Os funcionários que priorizam a saúde mental são capazes de identificar as empresas que apenas falam sobre o assunto, mas não implementam mudanças organizacionais para apoiar verdadeiramente essas iniciativas.

Durante um fórum realizado no ano passado pela plataforma de carreiras estudantis Handshake, os estudantes no painel enfatizaram a importância de avaliar cuidadosamente um potencial empregador.

A desconexão entre o que uma organização defende publicamente sobre saúde mental e os recursos e práticas reais de bem-estar que oferece aos funcionários. As empresas que conseguem comprovar um compromisso genuíno com a proteção do bem-estar mental e emocional de sua equipe são recompensadas.

Felizmente, mais empresas estão percebendo essa mudança. Um relatório recente da Sociedade de Recursos Humanos (SHRM) revelou que quase 78% das organizações atualmente oferecem ou planejam oferecer recursos de saúde mental no próximo ano.

Os funcionários estão reconhecendo cada vez mais que os benefícios de saúde mental são tão importantes quanto os benefícios de saúde física. E, segundo Luke Hejl, CEO da TimelyCare, os empregadores também deveriam compartilhar dessa visão.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado