Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Concorrência mantém setor de internet via satélite aquecido no Brasil

Reprodução

O mercado brasileiro de internet via satélite de baixa órbita está prestes a ganhar um novo concorrente. A empresa britânica OneWeb planeja expandir sua cobertura para a região centro-sul do Brasil até o final do terceiro trimestre deste ano.

Diferentemente de outras empresas do mesmo segmento atuantes no Brasil, como a Starlink, de Elon Musk, o serviço da OneWeb será oferecido a empresas, tais como as de telefonia, e a instituições governamentais.

Os satélites de baixa órbita compõem uma constelação a uma altitude de 500 a 1.500 km da Terra. Estão sempre em movimento em relação ao nosso planeta e têm uma vida útil média de 7 a 10 anos. Uma das principais vantagens deste serviço é a promessa de fornecer internet de alta velocidade em áreas com acesso limitado à infraestrutura de fibra óptica, especialmente em regiões remotas.

Publicidade

Segundo dados do Cetic.br divulgados em 2022, menos de 40% dos domicílios rurais no Brasil possuem conexões de fibra óptica ou cabo, comparado a 64% das áreas urbanas. Portanto, a chegada de provedores de internet via satélite de baixa órbita pode ser uma solução para preencher essa lacuna.

No entanto, a vida útil relativamente curta desses satélites apresenta um desafio adicional: a questão do lixo espacial. Além da OneWeb e da Starlink, existem pelo menos outras seis empresas competindo para lançar ou completar suas constelações de satélites de baixa órbita. A Amazon, por exemplo, planeja enviar mais de 3.200 satélites ao espaço como parte de seu projeto Kuiper. A ViaSat, por sua vez, utiliza a órbita geoestacionária, localizada acima dos satélites de baixa órbita.

A seguir, algumas opções de internet via satélite para consumidores no Brasil:

Starlink: oferece um kit com antena por R$ 2.000, além de uma mensalidade de R$ 184. Há também uma taxa de serviço e impostos no valor de R$ 1.196,01. Segundo o último monitoramento realizado pela Ookla no primeiro trimestre deste ano, possui velocidade média de download de 70,92 Mbps e upload de 13,95 Mbps, sendo a mais rápida entre as opções disponíveis.

Viasat: oferece planos que variam de R$ 179 a R$ 649, sem custo de equipamento adicional. Apresenta velocidade média de download de 14,41 Mbps e upload de 1,42 Mbps.

HughesNet: se apresenta como um provedor de internet rural via satélite. Seus planos têm preços que variam de R$ 189 mensais (20 GB de dados + bônus de 120 GB) a R$ 299 mensais (100 GB + bônus de 200 GB). A velocidade média de download é de 9,41 Mbps, enquanto a de upload chega a 2,12 Mbps.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado