Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Novo PAC respeita marco fiscal, diz Ministro da Casa Civil

Ministro Rui Costa comenta o lançamento do novo PAC
Ministro Rui Costa (Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil)

Em um evento realizado na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) nesta quinta-feira (24), o ministro da Casa Civil, Rui Costa, detalhou o Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), enfatizando sua abordagem centrada em parcerias privadas e compromisso com a responsabilidade fiscal.

Costa deixou claro que o Novo PAC não seguirá o caminho do “impulso desenvolvimentista“, mas sim priorizará o investimento responsável, respeitando as regras fiscais estabelecidas. “Queremos comprovar ao longo dos anos que podemos promover investimento com absoluta responsabilidade fiscal e com respeito aos marcos fiscais que nós mesmos nos propusemos”, afirmou o ministro.

O governo federal anunciou que o Novo PAC contará com um volume expressivo de investimentos, totalizando R$ 1,7 trilhão. Esse montante será distribuído entre diferentes fontes: o Orçamento Geral da União (OGU) alocará R$ 371 bilhões, as empresas estatais contribuirão com R$ 343 bilhões, os financiamentos somarão R$ 362 bilhões e o setor privado desempenhará um papel significativo com R$ 612 bilhões.

Publicidade

Rui Costa ressaltou que o compromisso do governo vai além do investimento, incluindo também esforços para aprimorar o sistema tributário e elevar a qualidade do gasto público. O objetivo é assegurar tanto o cumprimento da meta de déficit fiscal quanto a realização dos investimentos planejados.

Um ponto destacado pelo ministro foi a mudança na abordagem em relação aos antigos programas PAC 1 e 2. Enquanto estes priorizavam investimentos públicos, o Novo PAC é projetado para ter o setor privado como protagonista. “A grande diferença é que no PAC 1 e 2 o carro-chefe do investimento era investimento público. Já o Novo PAC está elaborado para que o volume de investimento seja impulsionado por parcerias com o setor privado”, explicou Costa.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado