Pesquisar
Close this search box.

China: túmulos “de luxo” de 800 anos são encontrados

Uma descoberta arqueológica importante foi realizada na cidade de Changzhi, província de Shanxi, na China, onde túmulos de aproximadamente 800 anos, pertencentes à era da dinastia Grande Jin, foram desenterrados. Esses túmulos, considerados “de luxo”, podem conter os restos mortais das elites que governaram a região durante esse período, proporcionando uma janela única para a história cultural e o poder da dinastia Jin.

Os três túmulos desenterrados, relativamente bem preservados, se destacam por seus detalhes arquitetônicos e decorativos, incluindo murais pintados, estatuetas, padrões florais e inscrições informativas. Essas características fornecem vestigíos valiosos sobre as pessoas, eventos e a geografia da época.

túmulos da china
(Foto: Instituto Shanxi de Relíquias Culturais e Arqueologia)

A dinastia Grande Jin, que governou o norte da China de 1115 a 1234, era liderada por um povo seminômade do nordeste da China, distinto da etnia Han predominante. Esta distinção é refletida nos túmulos encontrados, que exibem diferenças estilísticas, indicando a coexistência de várias culturas durante o reinado da Grande Jin.

Um dos aspectos que mais chamou a atenção dessa descoberta é a variação nos estilos dos túmulos, sugerindo que a dinastia Grande Jin adotou dois sistemas administrativos distintos para governar seus súditos de diferentes origens culturais. Essa prática ilustra a complexidade da governança e da sociedade sob o domínio da Grande Jin, além de destacar a diversidade cultural da região naquele período.

Apesar de sua origem estrangeira, a Grande Jin é considerada parte integrante da história chinesa, um ponto de vista que reforça a narrativa do governo chinês atual de uma contínua “chinesidade” ao longo da história, apesar das evidências arqueológicas de influências culturais diversas.

Essa descoberta não apenas enriquece o entendimento sobre a dinastia Grande Jin e suas práticas funerárias mas também desafia as percepções contemporâneas sobre a identidade e a história cultural da China. À medida que novas interpretações surgem, a descoberta dos túmulos da Grande Jin oferece novas perspectivas sobre o passado complexo da China.

Outros túmulos luxuosos

Arqueólogos localizaram nas profundezas de uma igreja de 700 anos da França, 230 túmulos e uma coleção de objetos valiosos. A pesquisa, conduzida pelo Instituto Nacional de Pesquisa Arqueológica Preventiva (INRAP), revelou não apenas os restos mortais de homens, mulheres e crianças de diversas épocas, mas também uma vasta gama de artefatos devocionais e pessoais de grande valor.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado