Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Após polêmica com Israel/Hammas, CEO retorna a Web Summit

Paddy Cosgrave reassume. (Foto: Reprodução/Horacio Villalobos)
Paddy Cosgrave reassume. (Foto: Reprodução/Horacio Villalobos)

Paddy Cosgrave, cofundador do Web Summit, anunciou seu retorno ao cargo de CEO da conferência de tecnologia, após ter renunciado em outubro do ano passado devido a controvérsias relacionadas a seus comentários sobre a guerra entre Israel e Gaza, nos quais o CEO afirmava que “crimes de guerra são crimes de guerra mesmo quando cometidos por aliados e devem ser denunciados pelo que são”. A mudança foi confirmada por Cosgrave em uma publicação no X, sem menção direta às polêmicas anteriores.

Novo direcionamento para o Web Summit

Em vez de revisitar os eventos que levaram à sua saída, Cosgrave compartilhou sua visão para o futuro do Web Summit, enfatizando a importância de tornar o evento mais acessível e relevante para as comunidades menores. “Nosso objetivo deve ser torná-lo menor para nossos participantes. Mais íntimo. Mais convivial. Mais focado na comunidade”, explicou Cosgrave. A organização do Web Summit delineou planos para segmentar essas comunidades, facilitando encontros de protótipos para participantes de setores semelhantes através de seu aplicativo.

Consequências dos comentários de Paddy Cosgrave

O retorno de Cosgrave ocorre depois de um período desafiador para o Web Summit, marcado pela retirada de importantes patrocinadores e palestrantes em resposta aos seus comentários sobre as relações políticas e os conflitos envolvendo Israel e Gaza. As críticas vieram de diversos setores, incluindo empresas de tecnologia de grande porte e influentes investidores.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

Após a divulgação dos comentários de Paddy Cosgrave sobre a guerra entre Israel e Gaza, várias empresas de renome e investidores expressaram seu descontentamento, culminando em uma onda de críticas que repercutiu no cenário empresarial. Patrocinadores como a Microsoft e o Google, bem como capitalistas de risco, principalmente aqueles baseados em Israel, retiraram seu apoio ao Web Summit.

Estratégias de recuperação e foco comunitário

Com a reintegração de Cosgrave, o Web Summit visa não apenas recuperar a confiança de seus participantes e patrocinadores, mas também ampliar sua missão de oferecer uma plataforma que valorize o networking e a troca de experiências entre os participantes. A conferência, conhecida por reunir mais de 70 mil participantes em Lisboa, buscará aprimorar sua abordagem, bem como a sua imagem.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado