Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Por que pessoas inteligentes cometem erros idiotas? – Por Edilson Botto

*Coluna por Edilson Botto, 27/02/2022

O dia 28 de janeiro de 1986 ficou marcado na história pela impressionante visão da explosão da nave espacial Challenger diante de milhões de espectadores em todo mundo.

Esse poderia ter sido apenas mais uma fatalidade na trajetória do programa espacial americano, não fosse pela causa do acidente. Um anel de vedação de borracha que, diante do frio que fazia no dia do lançamento, escolheu e deixou vazar combustível. A pergunta que ficou foi: se qualquer aluno do ensino fundamental sabe que os materiais se contraem no frio, como cientistas da NASA, pessoas inteligentes e altamente qualificadas, não evitaram esse acidente?

Publicidade

Questões como essa foi que motivaram o jornalista David Robson, especialista em assuntos ligados a neurociência e ao comportamento humano, iniciar uma pesquisa que resultou no livro Porque pessoas inteligentes cometem erros idiotas? , onde ele apresenta de forma muito clara, didática e recheada de exemplos como uma pessoa, apesar do intelecto privilegiado, é capaz de acreditar em ideias absurdas, ignorar o óbvio e tomar decisões completamente idiotas.

Publicado no Brasil em 2021, o livro está estruturado em 4 partes de modo a levar o leitor a uma compreensão crescente do tema, iniciando pelo entendimento do que é inteligência e de em quais contextos ser inteligente e ter muito conhecimento é exatamente a principal causa dos erros. O que parece ser um contrassenso fica claro, pois Robson prova com riqueza de argumentos que a humildade intelectual é uma parceira valiosa para o intelecto.

A 2ª parte do livro apresenta a profilaxia das armadilhas da inteligência e orienta como efetivamente tomar melhores decisões, apontando o uso de evidências, a autorreflexão e o cuidado com os gatilhos mentais como as ferramentas para raciocinar melhor.

Em seguida o autor aborda o aprendizado, mostrando como é possível aprender mais e ampliar a retenção das informações, usando como suporte uma análise da metodologia de aprendizado aplicada com sucesso no Leste Asiático, e aqui existem vários pontos que diferem do ensino que conhecemos, principalmente porque no Ocidente o objetivo é o ensino e no Leste Asiático o foco é que o aluno aprenda. Este capítulo é muito rico e nos faz pensar sobre como o Brasil precisa rever sua educação.

A 4ª e última parte aborda a construção da inteligência coletiva para formar equipes de trabalho mais produtivas e capazes de entregar melhores resultados. Uma grande lição para qualquer tipo de organização e para os líderes que buscam formar seus “dream teams”, e aqui apenas um rápido spoiler: não busque apenas os melhores profissionais, dê mais importância a montar equipes onde os membros confiam uns nos outros e se complementam.

O livro é muito bem escrito, possui uma linguagem clara, de fácil entendimento e, como o autor recomenda, é embasado em estudos científicos e evidências. Uma obra realmente essencial para você que busca se desenvolver e estar mais qualificado para tomar decisões realmente inteligentes.

**Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do ENB.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado