Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Você sabe o que é Family Office? Especialista explica os benefícios desse modelo de gestão

Você sabe o que é Family Office?
O contador Ubiratan Queiroz é especialista em Gestão de Empresas Familiares e Gestão Patrimonial.

Family Office é uma estrutura voltada para atender Famílias Empresárias, de elevado patrimônio e alta renda, encarregando-se da gestão de sua riqueza (patrimônio financeiro e imobiliário, principalmente), como também da execução de serviços nas áreas contábil, fiscal, jurídica, contas a pagar, gestão de frota (veículos, aeronaves e embarcações), dentre outros.

De acordo com o contador Ubiratan Queiroz, um dos benefícios do Family Office é contribuir para que os acionistas possam dedicar mais tempo à gestão das empresas operacionais, ao mesmo tempo em que são atendidos por uma equipe multidisciplinar, exclusivamente voltada para a administração do patrimônio familiar.

Ubiratan Queiroz informa que outro importante benefício do Family Office está ligado às boas práticas de governança corporativa, na medida em que evita o envolvimento das equipes das empresas operacionais na prestação de serviços voltados para os acionistas e seus familiares.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

“Podemos citar, ainda, a melhor preservação do sigilo em relação às informações de cunho patrimonial e financeiro dos membros da família como mais um benefício”, informa o sócio e diretor da B70 Consultoria, empresa de serviços nas áreas contábil, fiscal e societária, especialmente voltada para o atendimento de Famílias Empresárias.

O contador explica que a indicação para a montagem de um Family Office depende de diversos fatores, dentre os quais podemos citar: o valor do patrimônio, sua diversificação e complexidade (participações societárias, investimentos financeiros, imóveis, no Brasil e no exterior, entre outros), o tamanho da família e, em alguns casos, a disposição dos seus membros de terem a gestão do patrimônio compartilhada com os demais. “Todos esses fatores devem ser analisados em conjunto e precisam ser avaliados caso a caso – família a família”, informa.

Questionado sobre os possíveis riscos para esse modelo de gestão, Ubiratan Queiroz informa não são vislumbrados riscos para o modelo. “Pelo contrário. A segregação das atividades voltadas para os acionistas e seus familiares, numa estrutura independente, melhora significativamente o nível de governança das empresas operacionais. Além disso, a existência de profissionais especializados e dedicados para os assuntos da família eleva substancialmente a qualidade e segurança dos serviços executados”, explica.

Porém, alguns cuidados precisam ser tomados, dentre os quais são destacados a importância de ser criada uma empresa dedicada exclusivamente para a prestação dos serviços para a família. “Alternativamente, os referidos serviços podem ser executados por uma das holdings familiares. Em qualquer caso, contudo, a prestação dos serviços pelo Family Office deve ser remunerada pelos membros da família em valores compatíveis com o mercado”, conclui o contador, Ubiratan Queiroz é especialista em Gestão de Empresas Familiares e Gestão Patrimonial: Aspectos Jurídicos. Há 34 anos atua na área de consultoria empresarial, tendo, durante parte desse período, conciliado as atividades de consultor com a de gestor de Family Office.

 

 

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado