Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Com alta do IR, Receita bate recorde e recolhe R$ 202,59 bilhões

Receita libera último lote de restituições
Foto: Reprodução internet

A arrecadação total das Receitas Federais atingiu, em julho de 2022, o valor de R$ 202.5 bilhões. Com isso, foi registrado acréscimo real (IPCA) de 7,47% em relação a julho de 2021. No período acumulado de janeiro a julho de 2022, a arrecadação alcançou o valor de R$ 1.3 trilhão, representando um acréscimo de 10,44%.

De acordo com a Receita Federal, é importante observar que se trata do melhor desempenho arrecadatório desde 2000, tanto para o mês de julho quanto para o período acumulado.

Quanto às Receitas Administradas pela RFB, o valor arrecadado, em julho de 2022, foi de R$ 181.3 bilhões, representando um aumento de 5,21%, enquanto no período acumulado de janeiro a julho de 2022, a arrecadação alcançou R$ 1.2 trilhões, registrando acréscimo real de 8,42%. 

conteúdo patrocinado

Segundo o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, os resultados podem ser explicados, principalmente, pela alta no recolhimento do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), que incidem sobre empresas públicas e privadas.

O Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (IRRF) teve arrecadação de R$ 6,37 bilhões, tendo um acréscimo real de 52,54% no período em relação a julho do ano passado. Segundo Malaquias,  “com relação ao Imposto de Renda e à contribuição sobre as empresas, esses recolhimentos, na sua maior parte, são sobre valores estimados. Isso significa que as empresas estão projetando um resultado positivo neste período”, afirmou.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado