Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Projeto de empoderamento de marisqueiras em Cabo de Santo Agostinho transforma vidas e destaca a importância da igualdade de gênero

No Dia Internacional da Mulher, que será comemorado na quarta-feira (8/3), é importante destacar exemplos de mulheres que transformam o Brasil com força e coragem. Entre elas, estão as marisqueiras do município de Cabo do Santo Agostinho, em Pernambuco, que encontraram no Projeto Mulheres do MangueMar uma oportunidade de melhorar sua qualidade de vida.

A iniciativa foi criada pelo Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral – CADI Gaibu em 2020, após o derramamento de petróleo que atingiu o litoral brasileiro e agravou as vulnerabilidades socioeconômicas das comunidades locais. A maioria das marisqueiras não é alfabetizada ou possui baixa escolaridade e vive em comunidades tradicionais da pesca artesanal e/ou quilombos de Cabo de Santo Agostinho.

Com o apoio do Fundo Casa Socioambiental e da Prudential, o projeto proporcionou um serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, que abarcava questões sociais das mulheres, como o atendimento de seus filhos no período em que estavam no projeto, aspectos do relacionamento intra e interpessoal a partir de grupos psicoterapêuticos, oficinas de identidade individual e coletiva, e aspectos técnicos através de oficinas de artesanato com aproveitamento da casca de mariscos e práticas de beneficiamento do pescado, oferecendo suporte social, emocional e qualificação para 30 marisqueiras com idade entre 21 e 62 anos.

conteúdo patrocinado

Durante a pandemia, em 2020 e 2021, outros parceiros auxiliaram o projeto voluntariamente no intuito de garantir a soberania alimentar das mulheres por meio da doação de cestas básicas. Em 2021, o projeto introduziu oficinas de beneficiamento do pescado e gestão financeira, que teve como objetivo principal consolidar a identidade produtiva das pescadoras e marisqueiras, desenvolver o processo de agregar valor ao pescado e seguir as orientações técnicas para uma boa produção e comercialização dos produtos, ampliando o trabalho e a renda das participantes e contribuindo para suas capacidades de gerenciamento financeiro.

O Projeto Mulheres do MangueMar também realizou um intercâmbio com outro grupo de marisqueiras e agricultores do local para a troca de conhecimento e experiências. Além disso, divulgou cinco produtos realizados a partir do pescado: empanado de peixe, pescado salgado e seco, pescado defumado, pescado em conserva, língua de peixe e hambúrguer de pescado. Dessa maneira, as participantes foram capacitadas não apenas para a produção dos alimentos, como também para disseminar seus trabalhos com a finalidade de aumentar a segurança alimentar e a renda de suas famílias.

O projeto teve um impacto significativo na vida das marisqueiras, proporcionando não apenas conhecimento técnico e qualificação profissional, mas também apoio emocional e fortalecimento dos vínculos comunitários.

A Fiocruz também apoiou a iniciativa por meio de ações focadas na saúde da mulher na pesca. A participação e o engajamento de Eline Maria, 51 anos, chamaram a atenção da ONG. A marisqueira se destacou nas atividades de artesanato e na produção do beneficiamento do pescado e começou a participar de feiras e outros eventos. Além de encontrar um espaço para o fortalecimento dos vínculos, Eline começou a receber encomendas e a aumentar sua renda.

De acordo com dados do IBGE, as mulheres são a maioria da população brasileira e representam mais de 52% dos eleitores do país. No entanto, ainda enfrentam diversas desigualdades sociais, políticas e econômicas. Em relação à economia, segundo o Sebrae, as mulheres empreendedoras respondem por 34% dos negócios formais no Brasil e movimentam cerca de R$ 730 bilhões por ano.

Porém, muitas mulheres empreendedoras enfrentam barreiras, especialmente aquelas que vivem em comunidades vulneráveis, como as marisqueiras de Cabo de Santo Agostinho. A iniciativa do CADI Gaibu busca justamente superar essas barreiras e promover o empoderamento das mulheres, oferecendo não apenas capacitação técnica, mas também apoio emocional e psicológico.

O sucesso do projeto pode ser visto nas histórias de mulheres como Cláudia e Eline, que conseguiram superar suas dificuldades e melhorar suas vidas graças às oportunidades oferecidas pelo CADI Gaibu. E isso mostra como é importante investir em projetos que promovam a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres, especialmente aquelas em situação de vulnerabilidade.

Além disso, o sucesso do projeto também destaca a importância de parcerias entre organizações sociais, empresas e poder público, como forma de ampliar o alcance e impacto dessas iniciativas. Ainda há muito a ser feito em termos de igualdade de gênero no Brasil e em todo o mundo, mas iniciativas como essa nos mostram que é possível fazer a diferença na vida das mulheres.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado