Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Netflix é notificada pelo Procon por causa de cobrança em compartilhamento de senhas

Foto: freestocks.org / Pexels

Após decidir pela cobrança do compartilhamento de senhas para os seus assinantes no Brasil, a Netflix será notificada pelo Procon do Estado de São Paulo. O valor, de R$ 12,90, deverá ser pago no caso de alguém querer utilizar os serviços da plataforma de streaming fora do lar. A empresa enviou um comunicado aos usuários, informando a mudança.

A decisão levou o órgão de defesa do consumidor paulista a enfrentar esta situação. Através de nota, o Procon-SP informou que pretende “entender o que, de fato, a Netflix está anunciando aos seus assinantes; se, efetivamente a empresa está adotando um novo critério de cobrança e como funcionará este eventual novo sistema de acesso, além de outras informações relacionadas, para que seja possível analisar, com base em dados concretos, eventuais infrações ao Código de Defesa do Consumidor”.

Na prática, segundo a Netflix, o assinante principal deve mudar o perfil da pessoa que utiliza da sua conta na plataforma para que essa arque com os custos ou então optar por desativar os perfis usados em outros endereços. Essas alterações, de acordo com a empresa, não será empecilho no caso dos usuários que preferem utilizar o serviço quando estão distante de casa, no caso, nas ruas ou então quando estão viajando.

Publicidade

“A conta Netflix deve ser usada por uma única residência. Todas as pessoas que moram nesta mesma residência podem usar a Netflix onde quiserem, seja em casa, na rua, seja enquanto viajam”, informou.

A decisão por cobrar o serviço fora do lar vem após a Netflix passar um período de queda no número dos seus assinantes. Somente no ano passado, a plataforma viu 200 mil assinantes optarem pela descontinuidade da parceria, entre janeiro e março. Segundo a Bloomberg, em balanços trimestrais, foi a primeira vez que a empresa de streaming registrou resultado negativo nesse quesito desde 2011.

A explicação para queda no lucro tem relação com o aumento da concorrência, como a Amazon Prime Vídeo e o Paramonut+, além das dificuldades de aumentar o número de pagamentos mensais de usuários não assinantes, que utilizam a plataforma através da conta de terceiros. A empresa estima que 100 milhões de usuários usam o compartilhamento de senhas.

Esse modelo já vem sendo utilizado em alguns países onde a Netflix atua, desde o segundo semestre de 2022: Honduras, Costa Rica, Chile e Peru. Recentemente, a cobrança da taxa extra passou a ser feita no Canadá, na Espanha, em Portugal e na Nova Zelândia.

Confira a nota do Procon-SP na íntegra:

Em face da elevada quantidade de consultas recebidas pelo Procon-SP em suas redes sociais a respeito de um comunicado da Netflix sobre cobrança adicional por compartilhamento de assinatura, o órgão de defesa do consumidor irá notificar a empresa para prestar esclarecimentos.

O objetivo é entender o que, de fato, a Netflix está anunciando aos seus assinantes; se, efetivamente a empresa está adotando um novo critério de cobrança e como funcionará este eventual novo sistema de acesso, além de outras informações relacionadas, para que seja possível analisar, com base em dados concretos, eventuais infrações ao Código de Defesa do Consumidor.

Para isso, o Procon-SP orienta os consumidores que receberam alguma comunicação da empresa sobre mudança na forma de cobrança da assinatura do serviço e julguem irregular, que registrem formalmente uma reclamação no site www.procon.sp.gov.br.

“Somente com a comprovação das mudanças e a formalização das reclamações será possível avaliar se a nova forma de cobrança pelo acesso ou a tecnologia utilizada para controle têm amparo legal no Código de Defesa do Consumidor”, explica Rodrigo Tritapepe, diretor de Atendimento e Orientação do Procon-SP.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado