Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Reajuste nos Planos de Saúde Individuais e Familiares: O Que Você Precisa Saber

Foto: Divulgação

Em decisão recente, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) estabeleceu o índice máximo de reajuste nos planos de saúde individuais e familiares em todo o Brasil. No período de maio de 2023 a abril de 2024, esse aumento não ultrapassará 9,63%, sendo aplicado na data de aniversário dos contratos, correspondente ao mês de contratação.

Esse índice, embora tenha vindo como uma surpresa para muitos, ficou abaixo das expectativas do setor de saúde. A Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge), por exemplo, previa um reajuste entre 10% e 12%.

Cabe destacar que essa decisão da ANS apresenta uma redução em relação ao reajuste autorizado em 2022, que atingiu o patamar histórico de 15,5%, a maior alta desde 2000. Aquela significativa elevação veio após um ano atípico, 2021, quando pela primeira vez houve uma redução no reajuste dos planos de saúde (-8,19%).

Publicidade

A queda no uso dos serviços de saúde suplementar e a consequente redução nas despesas assistenciais durante o ano inicial da pandemia de Covid-19 foram fatores determinantes para a decisão de redução em 2021. No entanto, a situação reverteu em 2022, levando ao expressivo reajuste que se seguiu.

Segundo dados recentes da ANS, os beneficiários de planos de saúde individuais ou familiares representam 17,6% do total. Em abril de 2023, o Brasil tinha cerca de 50,6 milhões de pessoas com planos de saúde, dos quais aproximadamente 8,9 milhões eram usuários de planos individuais ou familiares.

Por outro lado, os planos coletivos, incluindo modalidades empresariais, por adesão ou não identificados, possuem uma participação majoritária, atingindo a marca de 41,6 milhões de beneficiários e representando 82,3% do total.

Com essa nova regulamentação, os beneficiários dos planos individuais e familiares podem esperar por um reajuste menos severo em seus contratos na data de aniversário de sua contratação. A ANS continua monitorando a situação, garantindo que a saúde suplementar continue sendo uma opção viável para milhões de brasileiros.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado