Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Redução na taxa Selic prevista para Agosto de 2023: O que significa para o Brasil?

Foto: Leeloo Thefirst/Pexels

Em meio às flutuações econômicas e às perspectivas de inflação, surge uma luz no fim do túnel para a economia brasileira. Especialistas preveem a redução na taxa Selic a partir de agosto de 2023, uma mudança importante com potencial para impactar positivamente a economia nacional. Esta previsão foi feita por analistas renomados que foram recentemente entrevistados pela CNN.

Julia Braga, professora de Economia da Universidade Federal Fluminense (UFF), foi uma das vozes influentes que sinalizaram a tendência. A especialista aponta que o impacto anteriormente provocado pela tensão monetária do Federal Reserve (Fed) dos Estados Unidos e a crise bancária americana já não pesa mais sobre o Brasil.

Segundo Braga, “O Banco Central provavelmente começará a sinalizar uma queda na taxa Selic a partir da próxima comunicação e, de fato, realizará essa queda a partir de agosto de 2023”. Este pronunciamento marca uma virada significativa, dado que a incerteza econômica global vinha pressionando a Selic a subir até então.

Publicidade

A professora da UFF não está sozinha em sua previsão. Outros economistas concordam que é muito provável que o ciclo de corte de juros comece em agosto. No entanto, eles ressaltam que o Banco Central precisa comunicar essa mudança de forma eficaz para garantir que as expectativas do mercado sejam devidamente gerenciadas.

As expectativas de inflação têm experimentado uma queda nos últimos meses, de acordo com os especialistas, bem como os preços de atacado e ao consumidor. “O Banco Central nunca corta juros sem avisar antes. Agora estamos na fase do aviso. Provavelmente a reunião da próxima semana deve marcar essa comunicação”, afirmou um dos economistas entrevistados pela CNN.

Essa previsão de redução da taxa Selic é uma notícia encorajadora para muitos, especialmente para aqueles com investimentos atrelados a esta taxa. Resta esperar para ver como o Banco Central comunicará essa importante mudança e qual será o impacto no cenário econômico brasileiro.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado