Pedido de suspensão da Magazine Luiza na B3

Magazine Luiza (MGLU3) valoriza-se em R$ 2,8 bilhões, subindo 24,43%, com alívio nos juros e dados de inflação nos EUA, mas analistas divergem sobre perspectivas e riscos contábeis.
Foto: Divulgação

O Instituto Empresa, experiente em casos como Oi e Americanas, solicitou à B3 a suspensão da Magazine Luiza do Novo Mercado devido a erros contábeis confirmados pela empresa. Os equívocos estão relacionados a lançamentos contábeis de bonificações em transações comerciais, levando a uma revisão dos balanços passados.

O prejuízo líquido do terceiro trimestre do ano passado foi corrigido para R$ 190,9 milhões, impactando investidores. O Instituto busca responsabilização e ressarcimento, alegando indução do investidor em erro. Enquanto isso, a Magazine Luiza afirma que os ajustes seguiram normas contábeis no melhor interesse da companhia.

A suspensão de uma empresa do Novo Mercado da B3 representa uma medida que ocorre em situações graves. Ou seja, geralmente ligadas a irregularidades financeiras ou de governança. O Novo Mercado é um segmento da bolsa de valores brasileira que preza por elevados padrões de transparência e governança corporativa.

Quando uma empresa é suspensa, significa que ela não atende mais aos requisitos exigidos. Assim, falhas contábeis, práticas irregulares ou outros aspectos que comprometem a integridade do mercado podem ser a causa. Essa medida visa proteger os investidores e a reputação do mercado. Além disso, busca incentivar as empresas a manterem elevados padrões éticos e de transparência em suas operações.

Mais Lidas

Últimas Notícias

LEIA MAIS