Pesquisar
Close this search box.

Lei de Falências: PL promete agilizar processos de falência

lei de falências
(Foto: Pexels/Pixabay).

Governo envia projeto para modernizar Lei de Falências, visando mais rapidez e transparência nos processos de falência.

Visando a modernização e agilidade nos processos de falência no Brasil, o governo encaminhou ao Congresso Nacional um projeto de lei que propõe mudanças significativas na atual Lei de Falências, datada de 2005. O projeto, apresentado nesta quarta-feira no Diário Oficial da União, tem como objetivo acelerar a liquidação de empresas inviáveis e ampliar os poderes dos credores.

De acordo com o Ministério da Fazenda, o projeto foi amplamente discutido com o setor privado. Assim como, faz parte da Agenda de Reformas Econômicas da pasta. Este plano propõe diferentes formas de venda de ativos, individualmente ou em bloco, e visa dispensar a aprovação judicial para a venda de ativos após a aprovação pela assembleia dos credores.

O que muda?

Primeiramente, o projeto sugere a autorização para que os credores, em comum acordo, possam escolher um gestor para administrar a massa falida, em alternativa ao administrador judicial atualmente nomeado pelo juiz. Este gestor terá a responsabilidade de administrar o processo de falência e realizar a venda dos bens para pagamento dos credores.

A proposta tem como outro aspecto importante a dispensa do processo de avaliação de bens, se aprovado pelos credores. Assim, permite que os ativos sejam diretamente levados a leilão. Atualmente, a avaliação pode levar até cinco anos, concentrando-se frequentemente em itens de menor valor.

Visando reduzir disputas judiciais, o projeto também busca estabelecer uma nova ordem de pagamento aos credores após a venda dos ativos. Priorizará aqueles com direitos inquestionáveis, como os trabalhadores, seguido por um plano aprovado pela maioria para definir a sequência dos pagamentos.

Além de trazer maior celeridade ao processo de falência, a proposta pretende alinhar os dispositivos da falência aos da recuperação judicial. Dessa forma, possibilita ao gestor fiduciário vender os bens da massa falida de forma mais rápida e eficiente.

 

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado